Quem sou...

Minha foto
Professora Ms Herik Zednik
Este Blog foi criado com o intuito de estimular uma reflexão sobre a Educação. Discutiremos a educação como processo de mudança, daí o nome educere, que significa conduzir-se de um lugar ao outro ou de uma situação para outra. Neste sentido, refletiremos sobre uma educação que vem de dentro para fora e não apenas falaremos da educação formal, mas de tudo que a permeia e a ela é atribuído. Desta forma, entendemos que "tudo é uma questão de educação" e que, por isso, abordaremos notícias, campanhas, projetos, política, cidadania, ciência e tantos outros assuntos, afinal, educação é muito mais do que produzir conhecimento formal, é também ampliar horizontes, transformar atitudes, vivenciar cidadania.
Visualizar meu perfil completo


"A mais potente arma nas mãos do opressor é a mente do oprimido" - Steven Biko

"Leia! Leia não apenas as palavras, imagens e símbolos estampadas nas mais diversas mídias. Leia o mundo nas suas mais diversas formas e significados, leia as entrelinhas. Leia o tangível, o audível, o visível e quem sabe até o invisível. Leia o mundo e faça as mais diversas interrogações, afinal como diria nosso educador Paulo Freire "a leitura do mundo antecede a leitura da palavra". Nós estamos no mundo e uma parte dele está em nós através de nossas leituras."
Herik Zednik

“O fracasso do professor começa no momento que ele desiste de aprender”
Herik Zednik


"Quanto mais simples é a pessoa, mais ela sobe no meu conceito"
Herik Zednik

"Não conheço nenhum país, cidade ou município no mundo que tenha se desenvolvido sem ter investido seriamente em educação"
Herik Zednik

"Não importa quanto dinheiro tenha, quantos cargos ocupe, quanta fama possua ou poder detenha, a essência precisa ter dignidade, honestidade, generosidade e também muita humildade."
Herik Zednik

Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade. " Confúcio

"Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.." Clarice Lispector

"A educação só produz resultados em sociedades em que as pessoas podem fazer escolhas pessoais e econômicas, dando-lhes a oportunidade de serem criadoras e descobridoras." (Odemiro Fonseca em "Benefícios da liberdade")

"Educação serve pouco se as pessoas não forem livres. É só lembrar o que aconteceu nos países socialistas, onde a educação era considerada de qualidade."

"O discurso da impossibilidade da mudança para a melhora do mundo não é o discurso da constatação da impossibilidade, mas o discurso ideológico da inviabilização do possível" Paulo Freire

"A mente que se abre a uma nova idéia nunca voltará ao seu tamanho original." Albert Einstein

"Bendito, bendito é aquele que semeia livros, livros a mão cheia e manda o povo pensar; o livro caindo na alma, é germe que faz a palma, é chuva que faz o mar.". Castro Alves

Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px

Featured Posts

quarta-feira, 30 de setembro de 2009
Amanhã, 01 de outubro, o Prefeito Leônidas Cristino e o Secretário de Educação, Júlio César Alexandre da Costa, inaugurarão a reforma do piso e cobertura da quadra da Escola Osmar de Sá Ponte.
O evento terá início às 7h e contará com a presença da diretora, Maria Iêda de Farias, coordenadoras, professores, funcionários, alunos, comunidade e lideranças locais.

Segundo o Secretário, Professor Júlio César, o benefício dessa obra é possibilitar o desenvolvimento psicomotor dos 1327 alunos desta escola, que praticarão atividades de forma orientada.





Dentro das comemorações do aniversário de 129 anos do Teatro São João, que transcorre de 29 de setembro a 02 de outubro, acontece o Projeto Dramaturgia - Leituras em Cena, uma ação do Serviço Social do Comércio - SESC, com apoio da Secretaria da Cultura e Turismo de Sobral. Sempre, às 19h30min, o público assistirá no Teatro São João, o melhor da dramaturgia cearense contemporânea, com leituras e dramatização de peças, com direção e elencos em cena no palco. A programação para comemorar os 129 anos estende-se até o final desta semana, contemplando os sobralenses com diversas atrações no palco e em outros locais.
O programa de formação de professores de línguas estrangeiras do Palácio de Ciências e Línguas Estrangeiras oferece aos professores uma oportunidade de intercâmbio de novas idéias com grandes nomes da área. Além disso é o momento de discutir fatores que os professores precisam levar em consideração quando estão planejando uma aula de língua estrangeira.
Para ajudar nesse sentido, o Centro convidou as professoras de línguas: uma de Inglês, consultora Pedagógica da Macmillan, com larga experiência na área de formação de professores, de Profa. Laura Lee Lehto. A mesma desenvolverá estudos na área de fonética e fonologia da língua Inglesa, às sextas-feiras. Na área de Espanhol, receberá a Profa. Verônica Barbazan, do Consulado Honorário da Espanha e Professora de Espanhol da Universidade Estadual do Ceará. O foco de estudo da formação está voltado a novas técnicas no ensino de Espanhol.O evento será nos meses de setembro, outubro e novembro do corrente.
A Prefeitura Municipal de Sobral, através da Secretaria da Educação, aderiu a 7ª Etapa do Programa Brasil Alfabetizado por entender que a alfabetização é parte do direito à educação e facilita a consecução de outros direitos, constituindo assim, uma ferramenta de empoderamento e um meio vital de desenvolvimento humano, conduzindo à aprendizagem ao longo da vida. As Escolas Municipais estão cadastrando jovens com 15 anos ou mais, adultos e idosos que estiverem interessados em participar deste Programa.
O Programa Brasil Alfabetizado, criado pelo Governo Federal e operacionalizado pelos municípios, objetiva a erradicação do analfabetismo, como também a universalização do Ensino Fundamental, promovendo apoio às ações de alfabetização de jovens com 15 anos ou mais, adultos e idosos.
Desde 2003, com o lançamento desse Programa, Sobral vem somando esforços às iniciativas Estadual e Nacional com a perspectiva de transformar a realidade do analfabetismo em nosso município. O total do atendimento feito pela rede municipal desde a implantação do programa é de 4.882 alunos. A 7ª Etapa do Programa Brasil Alfabetizado em Sobral será iniciada em novembro nas escolas municipais próximas a residência dos alfabetizandos, no período noturno, e com duração de 8 meses.



No dia 19 de setembro a Escola Deputado Pery Frota realizou a sua I Feira de Conveniência, onde os alunos do 1° ao 5° ano participaram fazendo compras com suas estalecas adquiridas durante o mês. As estalecas funcionam como uma espécie de bônus que os alunos conquistam através do bom desempenho em sala de aula.
O evento foi organizado pela diretora Márcia Britto Gomes e suas coordenadoras Alexsandra Sales e Elaine Alda, em colaboração com professores, alunos e funcionários.
Na ocasião, tivemos dança, música e compra de brinquedos. Os pais também participaram desse rico momento de aprendizagem, que muito contribuiu com a educação de Patriarca.
terça-feira, 29 de setembro de 2009

Por proposição do deputado Professor Teodoro, na tarde de terça-feira, 23, discutiu-se em audiência pública na Assembléia Legislativa, os objetivos do Observatório Social em Educação, recentemente inaugurado pelo Centro Industrial do Ceará (CIC).
Ciente de que a educação é a forma mais eficaz de inclusão social, a Coordenadora deste projeto, Ruth Maria de Matos Cunha, esclareceu que a missão do Observatório é mobilizar os diversos segmentos da sociedade e, em parceria com instituições públicas e privadas, visar o desenvolvimento social e economicamente sustentável do Ceará, observando, sistematizando e difundindo diversas realidades. A educação básica, segundo a coordenadora, será o foco principal.
Dentre as metas do projeto, Ruth Maria destaca, entre outras, o esclarecimento de dados e informações sobre a educação; a indução de debates sobre a educação e estímulo para que a sociedade tome parte nas discussões; a vinculação da educação ao desenvolvimento do Estado, e de maneira simplificada, explorar o conceito de educação qualitativa.
Segundo consenso dos integrantes do Centro Industrial do Ceará, pela educação o cidadão passa a compreender a lógica da nova sociedade, a entender que ele próprio tem o seu lugar neste meio e que pode exercer livremente suas escolhas; por isso, acreditam que a criação do Observatório Social em Educação será um instrumento auxiliar neste processo, buscando contagiar a sociedade cearense para uma mudança de postura frente a educação básica e a formação do cidadão.
De acordo com o deputado Professor Teodoro, o projeto contribuirá para a melhoria da democracia e ampliará a competitividade, pois além do favorecimento à inclusão educacional, a população estando mais esclarecida, se tornará melhor, mais efetiva e feliz.
Fonte: http://www.professorteodoro.com.br/index.php?pg=ler&id=739

O sábado, 26, emoldurou a finalização das comemorações do Setembro D. José: a programação contou com a participação do Professor Teodoro no Café Jaibaras, no Beco do Cotovelo, diretamente para o Programa Ivan Frota, líder local de audiência radiofônica, transmitido pelas rádios Tupinambá e Regional, a presença da exposição itinerante “Setembro D. José – 50 anos de ausência”, com ilustrativos banner’s que impressionaram os presentes por sua beleza e qualidade, e o lançamento do livro “Em nome do Povo IV” coroaram o final dos eventos deste ano.
Teodoro contou histórias sobre o homenageado, D. José, manifestou seu orgulho em ser parente dele (sua avó era prima irmã do bispo sobralense), enumerou as obras por ele realizadas e a revolução que isto causou na Princesa do Norte.
Falou da herança cultural, histórica e dos reflexos econômicos causados pela atuação de D. José, que a impulsionaram para transformar-se hoje na cidade pólo da Região Metropolitana de Sobral, esta sim uma iniciativa sua na Assembleia Legislativa do Ceará, para colocar a cidade em seu mais que merecido patamar.
Abordou também a sua temática principal, a educação, a solução capaz de vencer a inércia e acelerar o progresso com justiça social, e os seus reflexos na economia regional, enfatizando a importância do desenvolvimento sócio econômico de Sobral e sua região metropolitana, vinculada ao desenvolvimento e a ampliação das atividades da UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ - UVA, da qual foi seu reitor por mais de 16 anos e o efetivo renovador, em sua gestão, do papel daquela instituição de ensino superior.
Fonte: http://www.professorteodoro.com.br/index.php?pg=ler&id=742
Em 2010, a questão do financiamento da Educação também estará na pauta da Conae - Conferência Nacional da Educação, que deverá subsidiar a elaboração do próximo PNE - Plano Nacional de Educação. Entre as propostas que estarão presentes na conferência do próximo ano, está a vinculação do financiamento da Educação ao PIB.

A proposta foi aprovada na Coneb - Conferencia Nacional da Educação Básica, em 2008 e será levada à Conae no próximo ano. O texto final aprovado prevê a ampliação do investimento em Educação pública em relação ao PIB, na proporção de 1% ao ano, de forma a atingir, no mínimo, 7% do PIB até 2011 e, no mínimo, 10% do PIB até 2014, respeitando a vinculação de receitas à educação definidas e incluindo todos os tributos.

Mas a vinculação ainda não é consenso entre os especialistas. César Callegari explica que o problema de variação do financiamento da Educação face o desaquecimento da economia revela uma fragilidade dessa proposta de vinculação dos recursos da Educação ao PIB. "A vinculação ao PIB é uma bandeira positiva, mas é um mecanismo pouco articulado com financiamento da Educação pública, e precisa estar articulado às receitas correntes".

O economista Jorge Abrahão acredita que o País precisa caminhar para que o investimento público em Educação chegue ao patamar de 7% do PIB ao ano. Entretanto, ele pondera que prefere o crescimento como decorrência de uma prioridade política, do que por uma vinculação legal. "Não sei se uma vinculação pura e simplesmente resolve, é preciso desenhar bem, se não, você coloca a área inteira no ciclo econômico".

Fonte: Todos pela Educação

A oscilação dos recursos do Fundeb e o seu possível impacto nas políticas públicas educacionais, fez com que muitos especialistas apontassem não só a necessidade de ampliação dos recursos, mas também mecanismos para que estas oscilações não voltem a impactar a gestão e a continuidade das políticas.

O economista do Ipea afirma que seria necessário ter algum mecanismo "estabilizador" para não deixar isso acontecer. Jorge Abrahão defende a criação de um fundo protetor e sugere que, no futuro, os recursos do pré-sal possam ser utilizados como "elemento estabilizador para não ter essas quebras".

"No meu modo de entender, nós devemos encontrar mecanismos que garantam a regularidade no repasse para o financiamento da Educação, quem sabe até a criação de um colchão protetor para essas oscilações. As oscilações em matéria de Educação são muito graves, geram desmantelamento de programas, de projetos e são muito prejudiciais", pondera César Callegari.

O principal problema do Fundeb na avaliação do presidente da Undime é que o custo aluno/ano do Fundeb é calculado em cima de uma previsão de arrecadação para o ano. Carlos Eduardo defende que o que custo aluno deveria ser calculado com base no resultado da receita do ano anterior.
Fonte: Todos pela Educação



No momento não há perspectiva de ajuda federal para socorrer os municípios por conta da redução do Fundeb. Antonio Corrêa Neto afirma que hoje o MEC tem muitos programas que podem auxiliar os municípios em áreas como merenda e transporte escolar. "Fora isso, o que acreditamos que realmente vai ajudar é se o fim da DRU vier a ser aprovado ainda este ano no Senado. Se isso ocorrer, vai significar algo em torno de R$4 bilhões a mais para os municípios, o que poderá compensar essa perda".

Para o professor da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília, Célio da Cunha, qualquer diminuição nos recursos é muito prejudicial, principalmente porque o País tem um déficit educacional muito grande. "Essa redução é mais uma razão para o Congresso possa agilizar a aprovação do fim da DRU", defende.

Fonte: Todos pela Educação
Redução do fundo é superior a 10% e preocupa gestores e especialistas

O Fundeb - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação terá R$9 bilhões a menos do que o esperado no início do ano. A previsão inicial, feita em março deste ano, era de que o fundo chegasse a quase R$82 bilhões. Entretanto com a redução da arrecadação, a nova estimativa, feita pelo Ministério da Educação, é que este valor fique em torno de R$73 bilhões, ou seja, uma queda de mais de 10%. O impacto dessa redução tem preocupado especialistas e gestores, principalmente prefeitos e secretários municipais de Educação.

Para Antonio Corrêa Neto, diretor financeiro do FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, a redução é resultado da crise financeira que o País enfrentou nos últimos meses. "É reflexo de uma redução da arrecadação nacional, tanto dos tributos federais, quanto dos estaduais. E isso reflete diretamente no valor aluno/ano", explica. Inicialmente estimado em R$ 1.350,09, o custo aluno/ano caiu para R$ 1.221,34.
Com a redução do Fundeb deste ano, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, acredita que muitos municípios terão mais dificuldades em garantir o pagamento dos salários, sobretudo, em relação ao piso dos professores, cuja lei entrou em vigor este ano. A CNM critica a portaria 484, elaborada pela Comissão Intergovernamental de Financiamento para a Educação Básica de Qualidade, que definiu os critérios para que os municípios possam receber a complementação da União para o pagamento do piso do magistério. De acordo com levantamento feito pela entidade, apenas 26 municípios brasileiros atendem às cinco exigências estabelecidas para receber a complementação.
Leia mais: Todos pela educação



segunda-feira, 28 de setembro de 2009


A Prefeitura Municipal de Sobral, através da Secretaria da Educação e da Escola de Formação Permanente do Magistério, e o Grupo de Pesquisa História e Memória Social da Educação e da Cultura, da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, convidam para o lançamento do livro

NEM UM DIA SEM UMA LINHA
A OFICINA DE TRABALHO DO PADRE OSVALDO CARNEIRO CHAVES

do professor
JOAN EDESSON DE OLIVEIRA

O autor e a obra serão apresentados pela professora Izolda Cela, Secretária da Educação do Estado do Ceará.

1º de outubro de 2009 – 19 horas
Centro de Convenções de Sobral – Auditório Plutão

Saiu o Edital 05/2009 que regulamenta o Processo Seletivo para a oferta de cursos de graduação, na modalidade semipresencial, a serem ministrados pela Universidade Federal do Ceará, através da Universidade Aberta do Brasil -UAB.
As inscrições estarão abertas durante o período de 02 a 13 de outubro de 2009, exclusivamente pela Internet no endereço http://www.ccv.ufc.br/.

O polo da UAB de Meruoca oferece as seguintes vagas:

  • Letras – Português – Licenciatura 15 vagas

  • Letras – Inglês – Licenciatura 15 vagas

  • Letras – Espanhol – Licenciatura 15 vagas

As provas serão aplicadas no dia 1o. de novembro de 2009.


Não percam! O curso é gratuito!


O Brasil dificilmente vai conseguir produzir quedas dramáticas na proporção de analfabetos, que hoje corresponde a 10% da população com mais de 15 anos. E as razões que determinam tal "fracasso" não são todas necessariamente más. É preciso antes de mais nada distinguir entre os analfabetos jovens e velhos.

Enquanto a taxa de iletrados é de 12,4% entre as pessoas com mais de 25 anos, ela fica em apenas 2,2% para a população entre 15 e 24 anos. Isso significa que índices da ordem de 10% são basicamente um problema do passado. Se o Brasil não fizer nada em favor dessa população e apenas deixar o tempo passar, o analfabetismo já cairá. Vai levar ainda algumas décadas, porque a expectativa de vida (inclusive a dos mais pobres) tem aumentado ao longo dos últimos anos, mas essas taxas relativamente altas de iletrados têm prazo de validade para acabar.

Poderíamos, é claro, catalisar esse processo investindo em programas de alfabetização do adulto. O problema aqui é principalmente a falta de interesse dos supostos interessados. Segundo a última Pnad, apenas 3% dos analfabetos fora da idade Escolar frequentaram uma sala de aula em 2008. As matrículas nessa modalidade de ensino têm caído ao longo dos últimos anos, principalmente no nível fundamental.

De algum modo, eles parecem estar sobrevivendo relativamente bem mesmo sem saber ler e escrever. Seria interessante investigar quais as causas da baixa procura pelos cursos, além, é claro, de sua ineficácia e das velhas e conhecidas dificuldades de acesso.

Para o futuro, entretanto, o que importa é olhar para as taxas de analfabetismo entre os mais jovens. E a situação neste caso não enseja comemorações. Os 2,2% registrados na faixa entre 15 e 24 preocupam. Pior ainda quando se considera que, entre os 10 e 14 anos, o índice sobe para 3,1%. Isso significa que a Escola está ensinando a ler tarde e mal. Não haveria, em princípio, nenhum motivo para não conseguirmos proporções inferiores a 1% nessas faixas, como ocorre em países do Primeiro Mundo.

Não estamos aqui falando de vencer o analfabetismo funcional, que implica atingir um nível de leitura e escrita adequado às necessidades do indivíduo, mas de derrotar o analfabetismo absoluto, para o que basta ser capaz de decodificar um bilhete com meia dúzia de palavras simples.


Fonte: 28/09/2009 - FOLHA DE SÃO PAULO (SP)

A Assembléia Legislativa aprovou, ontem, quatro projetos de autoria do Poder Executivo. Dentre eles, dois são destinadas à área da Educação. As mensagens instituem prêmios para alunos e professores. Ambas foram aprovadas por unanimidade.

O projeto que institui a premiação para alunos do ensino médio, com melhor desempenho acadêmico nas Escolas de rede pública estadual, estabelece que cada aluno que atingir as médias de proficiência adequadas em língua portuguesa e matemática, a partir do resultado do Sistema Permanente de Avaliação de Educação Básica do Ceará (Spaece), receberá um microcomputador. Já o projeto de lei que institui o Prêmio Aprender pra Valer, premia o quadro funcional das Escolas da rede estadual de ensino, que atingirem as metas anuais da evolução da aprendizagem do ensino médio, também levando em conta os resultados do Spaece.


A redação inicial da mensagem dizia que a meta de evolução mínima que os alunos deveriam obter sobre a média de proficiência do Spaece, também em língua portuguesa e em matemática, para que o quadro funcional da Escola recebesse o prêmio, seria de 10%.


Porém uma emenda de plenário, também aprovada, estabeleceu uma média de 7% a 10%. A emenda ainda especifica que o prêmio, um mês a mais de remuneração de acordo com o vencimento de cada funcionário das Escolas, será correspondente a média adquirida pela Escola. "Aqueles que melhorarem 7% receberão 70% do seu salário, os que melhorarem 8% receberão 80% do salário e os que melhorarem 10% receberão mais um salário", esclareceu o líder do Governo na Casa.

Fonte: 26/09/2009 - DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Pró-letramento oferece cursos de matemática, alfabetização e linguagem.Tutores do projeto recebem bolsa mensal de R$ 400.

O Ministério da Educação (MEC) pretende oferecer, em 2010, cursos de formação continuada em matemática, alfabetização e linguagem para cem mil educadores. Professores inscritos em programa de formação do MEC devem consultar site.

Lula lança programa de R$ 1 bilhão para formação de 330 mil professores. O projeto de R$ 100 melhora resultado Escolar, diz estudo da UFRJ.

Os cursos integram o projeto Pró-letramento e serão destinados aos professores dos anos iniciais do ensino fundamental das redes públicas que aderiram ao programa em 2009.

O projeto oferece dois tipos de formação: um curso de alfabetização e linguagem e outro de matemática, com carga de 120 horas cada.

A formação combina encontros presenciais e atividades individuais durante oito meses e tem o auxílio de tutores que ajudam na orientação dos estudos. Esses tutores recebem bolsas mensais no valor de R$ 400 pagas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), uma autarquia do MEC.

O Pró-letramento é desenvolvido pelo ministério em parceria com 19 universidades que integram a Rede Nacional de Formação Continuada e com a adesão de estados e municípios. De acordo com o MEC, atualmente 169.764 docentes estão fazendo esse tipo de formação continuada.

Fonte: 25/09/2009 - G1 (RJ)

Para garantir a educação como um direito efetivo, o Brasil precisa ter um Plano Nacional de Educação (PNE) com metas realistas, um centro gestor de caráter federalista e uma lei que responsabilize o Poder Executivo pelas ações nessa área.

A análise é do professor Jamil Cury, da PUC Minas, conferencista desta quinta-feira (24/9/09), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, durante o encontro da Região Sudeste sobre o PNE, organizado pela Câmara dos Deputados. O encontro foi aberto pela Deputada Maria do Rosário (PT/RS), presidente da CEC e pelo Deputado Odair Cunha (PT/MG), 3º secretário da Câmara dos Deputados.
O novo PNE será votado no Congresso em 2010 e estabelecerá princípios, diretrizes, prioridades, metas e estratégias para a educação no País entre 2011 e 2020. Por iniciativa da Comissão de Educação e Cultura da Câmara, estão sendo realizados encontros regionais para colher sugestões para a proposta.
Na abertura do evento na ALMG, o presidente da Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia e Informática da ALMG, deputado Ruy Muniz (DEM), lembrou o processo participativo de construção do Plano Decenal de Minas Gerais e anunciou que até outubro a proposta será votada. Ele defendeu ainda a valorização dos profissionais da educação. Na avaliação de Cury, além de realistas e feitas a partir do diagnóstico nas bases, as metas do PNE devem ser factíveis, o que implica a disponibilidade de recursos.
Para isso, ele defende uma espécie de lei de responsabilidade para a educação, que traga conseqüências para o governo que não se comprometer com o ensino. Abordando a importância do planejamento na educação, o professor listou ainda como obstáculo a questão federativa. Como o PNE prevê que estados e municípios tenham seus próprios planos decenais, ele acredita ser necessário uma unidades gestora desses planos, não para centralizar ou verticalizar, mas para dar um caráter federativo ao ensino. “Do jeito que a educação está dividida no Brasil, não se pode cobrar quase nada. As coisas ficam ditas, mas não são feitas”, justifica.
Para o professor, o PNE é importante para evitar a dispersão de iniciativas em um País tão grande e complexo como o Brasil.
Segundo ele, o momento é de esperança porque há uma espécie de acordo entre os legislativos, os executivos e a sociedade, convocada a contribuir para um plano do qual ela é a maior destinatária. Por outro lado, ele fez um alerta sobre o fracasso de todos os outros planos nacionais de educação elaborados no Brasil desde a década de 30. “Todos fracassaram, e as causas disso devem estar na nossa lembrança”, afirmou. O retrospecto feito por Cury mostrou que os golpes de 1937 e de 1964 interromperam a implantação de planos de educação, prejudicados também pela eterna disputa entre centralizadores e descentralizadores. Por fim , o PNE vigente (2001-2010) teve um veto do presidente Fernando Henrique Cardoso justamente quanto aos recursos financeiros. “Em 1988, tínhamos 40 milhões de alunos na educação básica; em 2001, eram 50 milhões, com o mesmo volume de recursos. Nesse momento, estados e municípios se sentiram desobrigados de fazerem seus planos”, relembra Cury. Por isso, segundo ele, o atual PNE não vingou.

Fonte: 25/09/2009 - Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados

A abertura do encontro na ALMG reuniu parlamentares e dirigentes de entidades ligadas à educação. Todos realçaram a necessidade de que a população seja ouvida na elaboração dessas políticas públicas. A presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara, deputada Maria do Rosário (PT-RS), explicou que os seminários regionais foram iniciados em Cuiabá e chegarão a todo o País. "Se quisermos um plano que a sociedade reconheça e que garanta o direito à educação de qualidade, temos que fazer esse trabalho com um olhar popular", afirmou.

Para ela, a tarefa é um desafio, uma vez que o Brasil não tem a cultura do planejamento. Maria do Rosário citou ainda a votação em 1º turno de proposta de emenda que acaba com a chamada Desvinculação de Receitas da União (DRU), o que permitirá mais investimentos na educação. Segundo ela o PNE estabelecerá o vínculo entre o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e os investimentos no setor. Já o deputado federal Odair Cunha (PT-MG), 3º secretário da Câmara, afirmou que os desafios da educação precisam ser compreendidos a partir dos Estados e que o Legislativo nacional precisa criar canais institucionais para essa participação popular. Uma discussão democrática também foi a proposta da subsecretária de Estado de Educação Básica de Minas, Raquel Elizabeth. O representante do MEC, Arlindo Cavalcanti Queiroz, salientou que o PNE chega em um momento favorável, quando o Brasil destina recursos da exploração do pré-sal para resgatar a dívida com a educação. O deputado Gilmar Machado (PT-MG) completou que aguarda decisão favorável do Supremo Tribunal Federal para garantir que o piso nacional de educação seja pago em todo o País a partir de janeiro.

A coordenadora da Conferência Estadual de Educação de Minas Gerais, Suely Duque Rodarte, também argumentou que os professores precisam se sentir cidadãos. "Tem gente que tem vergonha de dizer que é professor, com salário baixo, sofrendo desacato e insegurança", disse. O deputado Ruy Muniz leu correspondência do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, justificando ausência.

Fonte: Assessoria de Imprensa da ALMG.


Os 4,5 milhões de alunos inscritos no Enem que irão fazer a prova neste ano não poderão, ao terminá-la, cotejar suas respostas com o gabarito e saber qual a pontuação que atingiram. Isso porque a nota não será resultado direto de seus acertos, e sim de um cálculo, derivado da utilização da Teoria de Resposta ao Item, que visa estimar o grau de proficiência dos alunos em relação às habilidades requeridas pela prova.
A decisão de adotar esse instrumento pela primeira vez para uma prova de processo seletivo no Brasil foi tomada, segundo Reynaldo Fernandes, presidente do Instituto Nacional Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), por vários motivos. Um deles é aprimorar o processo, de modo a escolher os alunos mais capacitados. Outro é a questão da segurança da prova em termos de fraude. Nesse sentido, Reynaldo diz que o próximo passo é fazer provas diferentes.
Mas há ainda a possibilidade de o Enem ser utilizado em substituição à prova de ingresso do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), aferindo a chamada linha de base dos calouros universitários no momento de seu ingresso. Isso permitirá a comparação com suas habilidades ao final do curso, para medir o que foi adquirido em seu decorrer. Hoje, o Enade dos ingressantes é feito ao final do 1º ano. Outra razão é que a TRI permite a realização de séries históricas da prova, o que ajuda a análise de desempenho dos alunos do ensino médio ao longo do tempo. Segundo o presidente do Inep, é possível que a introdução da nova metodologia traga, efetivamente, algum nível de confusão e de contestação por parte dos alunos, que não saberão como calcular sua nota. "Sabemos que vamos ter problemas de comunicação. É difícil explicar a TRI, porque ela tem outra lógica, outro conceito, difícil de explicar para uma pessoa não iniciada em estatística", diz Reynaldo.

Fonte: 25/09/2009 - Revista Educação
Rubem Barros e Filipe Jahn


Dia: 26/09 – Sábado
Hora: 20h - Show com Fhátima Santos

Dia: 27/09 – Domingo
Hora: 17h - Espetáculo Infantil “O Mágico de Oz” - Acadêmia Liduina Marques
Hora: 18h30m - Espetáculo de Dança "Caminhos" - Cia Korpus Libertus
Hora: 20h - Espetáculo Teatral "O Eclipse - Cia Navegando nas Artes Cênicas

Dia: 28/09 - 2ª Feira
Hora: 20h - Espetáculo “O Eclipse” - Cia Navegando nas Artes Cênicas


TODOS OS ACESSOS SÃO GRATUITOS! PARTICIPEM!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009
O Brasil tem 52.099.832 estudantes matriculados na educação básica — creche, pré-escola, ensino fundamental, ensino médio, educação especial, educação de jovens e adultos e educação profissional. O número, preliminar, consta dos resultados do Censo Escolar da Educação Básica de 2009, divulgados nesta quarta-feira, 23, no Diário Oficial da União. Os números de matrículas nas diversas modalidades de ensino servem de base para o planejamento orçamentário de ações públicas. O censo escolar é a referência para o repasse de recursos a programas como os da merenda e do transporte escolares, além do Fundo da Educação Básica (Fundeb).
De acordo com os dados preliminares, há 1.860.872 matrículas em creches. Na pré-escola, 4.809.620 e, na educação fundamental, 17.139.755 nos anos iniciais e 14.351.200 nos anos finais. No total, 8.280.875 estudantes cursam o ensino médio regular. Na educação de jovens e adultos são 4.577.517 matrículas; na profissional, 837.011 e, na especial, 242.982.A maior parte das matrículas concentra-se na rede pública. São 215.901 estudantes na rede federal, 20.646.917 nas estaduais, 24.148.378 nas municipais e 7.088.636 na particular.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Inep
Convite


Show com o grande instrumentista Sobralense
Carlinhos Patriolino

Local: Theatro São João
Hora: 20h
Acesso: Gratuito
A Secretaria da Saúde e Ação Social de Sobral, juntamente com a Secretaria da Educação, o Gabinete da Primeira Dama Lily Cristino e a Fundação de Ação Social do Município (FASM), está capacitando professores da rede pública municipal de ensino na estratégia da saúde e prevenção na escola. A integra a programação da Semana da Juventude no Ceará que acontece no período de 21 a 24 de setembro.
O objetivo do Programa Saúde e Prevenção na Escola (SPE) é capacitar e estimular os professores a estarem trabalhando promoção de saúde em sala de aula, evitando, assim, que as nossas crianças e adolescente adoeçam, ou evitando que os agravos aumentem

Com o tema Ciência no Brasil, acontecerá a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em Sobral, com palestras e conferências, no período de 19 a 25 de outubro, sob a organização da Secretaria da Tecnologia e Desenvolvimento Econômico de Sobral (STDE) e Secretaria da Ciência e Tecnologia do Ceará (Secitece).

Na relação dos participantes estão escolas, universidades e instituições da área, com a presença de professores, pesquisadores, estudantes secundaristas e universitários, cientistas e gestores.

Maiores informações pelos telefones: 88.3614.2555 / 3611.4421 (STDE).
O presidente da República em exercício, José Alencar, sancionou uma Lei que determina a obrigatoriedade de execução do Hino Nacional nas escolas de ensino fundamental públicas e privadas, pelo menos uma vez por semana. O ato já foi publicado no Diário Oficial da União. Alencar assumiu interinamente a Presidência nesta segunda-feira (21) em decorrência da ida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Nova York (EUA), onde participa da abertura da Assembléia Geral da ONU.
quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A equipe do Museu do Eclipse comunica que está com uma página Twitter, com informações em tempo real sobre as atividades d dia a dia do Museu, além de outras informações pertinentes ao setor. Prestigie. Divulgue. Siga. www.twitter.com/museudoeclipse
O governador Cid Gomes e a secretária Izolda Cela entregaram nesta segunda-feira (21), 35 ônibus que vão apoiar as ações educacionais no Ceará. A iniciativa conta com investimentos da ordem de R$ 5,8 milhões. Os ônibus vão beneficiar alunos, professores, gestores e técnicos educacionais que atuam nas escolas profissionais e na rede estadual de ensino. Do total adquirido, 26 veículos ficarão sob a responsabilidade das 20 Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Crede), enquanto seis ficarão na capital, um para cada regional.
Além disso, seis ônibus irão para as Crede de Maracanaú, Sobral, Quixadá, Russas, Crateús e Juazeiro do Norte que formam as seis Macrorregiões da Educação. Na sede da Seduc, três ônibus vão ficar à disposição.

Secretário de Educação de Sobral, Professor Júlio César Alexandre, participou ao lado dos demais secretários de educação dos municípios que compõem a jurisdição da 6ª CREDE, de uma reunião do Comitê do Plano de Ação Articulada – PAR. O encontro, aconteceu durante toda a última quinta-feira (17) no auditório do Senac Sobral, com acompanhamento dos técnicos da Secretaria de Educação do Estado, Ernani Guimarães e Waléria Silva.


Primeira dama de Sobral, Lily Cristino, informa via Twitter, que na última sexta-feira (18), Sobral deu novamente o exemplo. O UNICEF quer expandir para todos os 184 municípios cearense o projeto "Palavra de Criança" desenvolvido inicialmente em Sobral e Teresina – PI, e que trabalha a interlocução com as famílias, grande parceira da escola para o sucesso escolar das crianças.
O Palavra de Criança foca o aluno do 3º ano em todas as suas relações, dentro e fora da escola. É importante que o aluno leia e compreenda o que leu, para poder escrever com propriedade; para isso, a contribuição da família é fundamental, uma vez que a escola não pode ocupar o espaço do acompanhamento que é próprio dos pais, na rotina de casa. Todo membro da família, ainda que analfabeto, pode contribuir com a educação da criança, contando histórias, pedindo que ela conte o que aconteceu no seu dia, interessando-se pelo que ela aprendeu e valorizando os progressos que ela alcança.
Este é um dos 20 quadros expostos na Casa da Cultura de Sobral, e que fazem parte da Mostra Sesc de Arte NAIF, uma arte livre, que não segue escolas ou tendências. Sob a curadoria do artista plástico José Tarcísio, a exposição fica aberta ao público até o próximo dia 28 de setembro, das 8h às 12h, de 14h às 20h.
Vale a pena conferir!

O envolvimento da universidade com a educação básica deve ser um dos objetivos do ensino superior, conforme projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), aprovado nesta terça-feira pela Comissão de Educação.

A proposta, que tramita em caráter terminativo, altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) com o objetivo de democratizar e melhorar a educação básica a partir da sua aproximação com o nível superior. Cristovam Buarque (PDT-DF) explicou que a educação superior deve atuar em favor da universalização e do aprimoramento da educação básica, mediante a formação e a capacitação de profissionais, a realização de pesquisas pedagógicas e de desenvolvimento de atividades de extensão que integrem os dois níveis educacionais.

Para o relator ad-hoc do PLS 258, de 2008, senador Adelmir Santana (DEM-DF), a proposta poderá diminuir a dívida social do país em relação à educação. Na opinião da senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN), é fundamental que as universidades cumpram seu papel social, empreendendo um mutirão para atender as crianças e garantindo educação de qualidade desde a pré-escola. - Isso fará diferença, à medida que forem ficando mais difíceis as etapas educacionais - explicou. A reunião da Comissão foi presidida pelo senador Flávio Arns (sem partido - PR). Fonte: Laura Fonseca / Agência Senado

O Projeto "A Escola vai ao Cinema 2009" exibe na Mostra de Cinema de Arte o filme "A Máquina", dias: 22, 23, 29 e 30 de Setembro, às 19:30h no Cinema Renato Aragão.

Gratuito!
Maiores informações 3611 2712 / 3614 2521

A Máquina
Direção: João Falcão / Drama / 2006
Com: Mariana Ximenes, Gustavo Falcão, Paulo Autran, Lázaro Ramos.
Em Nordestina, cidadizinha perdida no setão, “Kariana da rua de baixo” (Mariana Ximenes) sonha em ser atriz e partir para o mundo. Antes que seu amor lhe escape, “Antônio de Nazaré” (Gustavo Falcão) adianta-se numa cruzada Kamikase para trazer o mundo até Karina. Uma história em que os sonhos se contradizem a realidade, as condições geográficas e políticas ameaçam conter a vida, e o amor desempenha o papel de elemento transformador.
segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Seduc avalia os dados da Pnad e tenta novo modelo para diminuir o índice de analfabetos adultos no Ceará

O Ceará, como o resto do País, não tem sido competente para reduzir o índice de analfabetismo adulto, apesar dos programas de alfabetização. A análise é do secretário adjunto da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), Maurício Holanda ao comentar o resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2008, que destaca o Estado como um dos piores do País em taxa de Escolaridade a partir dos 15 anos.

Na visão de Holanda, as medidas implementadas para diminuir o índice de analfabetismo entre adultos não tem produzido os resultados desejados. Entre as causas, ele aponta a falta de motivação dessas pessoas em estudar e dos municípios formarem turmas.

Segundo ele, existe um problema da demanda real de analfabetos adultos que querem se alfabetizar e outro está relacionado ao modelo. "Precisamos de uma metodologia que estimule os adultos a irem para a sala de aula", argumenta o secretário adjunto da Seduc.

Holanda disse ainda que a pesquisa do IBGE também classifica o Ceará entre os estados com maior índice de cobertura de Escolaridade entre crianças de quatro a seis anos. "A nossa meta é chegar a 100% o índice de Escolaridade na população de quatro a 17 anos até 2010".

Para atingir esta taxa, ele admite ser necessário a cooperação dos municípios. Aproveitou para anunciar a intenção do Estado de ajuda financeira aos municípios para a construção de centros de Educação infantil. O desafio da Educação do Ceará e dos demais estados da Federação é a alfabetização na idade certa, isto é até os sete anos de idade. Holanda reconhece que atualmente, alunos na faixa etária dos sete anos, "passavam de ano sem saber lê, nem escrever e é a base que vai garantir a base para o futuro".

Fonte: SUELEM CAMINHA REPÓRTER 19/09/2009 - DIÁRIO DO NORDESTE (CE)



Ceará tem um dos piores índices a partir dos 15 anos. Entre quatro e 17 anos, 6,9% dos jovens estão fora da escola


Os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad)de 2008, divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram uma triste realidade da Educação cearense. Do Ensino Infantil ao Superior, a taxa de Escolarização do Estado vai piorando gradativamente, saindo da melhor situação do País para um dos piores índices.

A taxa de Escolarização é medida pela percentagem dos estudantes de uma faixa etária em relação ao total de pessoas do mesmo grupo. Entre as crianças de quatro a cinco anos, idade correspondente ao Ensino Infantil, o Ceará é o Estado com a maior taxa de Escolarização do Brasil. O índice obtido pelo Estado, de 88,4%, é bem superior à média nacional, de 72,8%.

Entre a população estudantil de seis a 14 anos, equivalente ao ensino fundamental, a taxa do Ceará é de 97,5%, semelhante ao índice nacional. O resultado, porém, derruba o Estado para o 13º lugar no ranking nacional, atrás de vizinhos de região Nordeste como Sergipe, Paraíba, Bahia e Maranhão.

Queda

De acordo com a pesquisa do IBGE, o resultado piora na idade em que os adolescentes deveriam cursar o ensino médio (15 a 17 anos). A taxa de Escolarização do Estado cai para 82,5%, abaixo da média nacional, de 84,1%. Com esse índice, o Ceará é apenas o 18% do Brasil, perdendo para estados como Maranhão, Piauí, Sergipe, Bahia, Amazonas, Roraima, Amapá e Tocantins.

Na edição da última quarta-feira (16), o Diário do Nordeste divulgou, com exclusividade, dados da Secretaria da Educação do Estado, informando que 85% dos alunos do ensino médio não têm domínio sobre as quatro operações de Matemática e 80% só lêem frases curtas na ordem direta e não sabem desenvolver textos simples.

A pior avaliação do Estado, diz a Pnud, foi na faixa etária de 18 a 24 anos, quando a taxa cai para 27,3%, a 24ª do Brasil. O índice só é melhor que os de Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Espírito Santo, e fica longe da média nacional que é de 30,5%.

Entre pessoas de 25 anos ou mais, o Ceará tem 5,1% de Escolaridade, contra 5,3% do quociente médio brasileiro. A comparação entre a população em idade Escolar e o número de estudantes revela ainda que 158 mil alunos estão fora da Escola no grupo etário entre quatro e 17 anos, o equivalente a 6,9% das crianças e dos adolescentes do Estado. Em relação à Pnad de 2007, a taxa de Escolarização do Ceará aumentou entre pessoas de quatro e cinco anos ( 2,6%) e de 15 a 17 anos ( 3,1%). A queda mais significativa foi na faixa entre 18 e 24 anos ( 1,5%). Nos demais grupos etários, os índices tiveram ligeiras pioras.

REGIÃO METROPOLITANA

analfabetismo é de 11,6%


O número de analfabetos a partir dos cinco anos de idade na Região Metropolitana de Fortaleza chega a 379 mil pessoas, segundo os números da Pnad 2008. O índice corresponde a 11,6% da população de 3,2 milhões de habitantes dentro dessa faixa etária. Desse total, 197 mil são homens e 182 mil são mulheres.

A maior concentração de analfabetos na Grande Fortaleza está entre os idosos: 92 mil pessoas com 60 anos ou mais que não sabem ler e escrever. Neste caso, o problema se distribui de forma diferente com relação ao gênero, atingindo 52 mil mulheres e 39 mil homens.

Na outra ponta, 64 mil crianças entre cinco e seis anos de idade também são analfabetas, o que pode indicar que os alunos não estão aprendendo como deveriam no Ensino Infantil e na primeira série do ensino fundamental (em que pese a boa taxa de Escolarização nessa faixa etária).

O tempo de estudo médio entre os moradores da Região Metropolitana não é suficiente sequer para a conclusão do ensino fundamental com a nova configuração de nove séries. Dos 2,9 milhões de habitantes com idade igual ou superior a dez anos, 1,6 milhões estuda, no máximo, oito anos (56,4% do total), de acordo com a pesquisa divulgada ontem pelo IBGE. A situação é pior para 279 mil pessoas (9,3%) que nunca estudaram ou passaram, no máximo, um ano na Escola. A maior parte da população com dez anos ou mais de idade estuda, em média, 11 anos, caso de 703 mil moradores da RMF.

A rede pública de ensino continua sendo o principal forma de acesso à Educação. De cerca de um milhão de estudantes com quatro anos ou mais, 736 mil freqüentam as Escolas públicos, enquanto 348 mil estudam na rede particular.


Fonte: ÍCARO JOATHAN REPÓRTER 19/09/2009 - DIÁRIO DO NORDESTE (CE)



Qualquer parâmetro utilizado para avaliar a qualidade do ensino público no Ceará comprova o seu baixo nível, fruto de uma série de problemas estruturais, entre eles, a caducidade dos métodos de aprendizagem, a desatualização curricular e a desmotivação do professorado em razão dos baixos níveis de remuneração.

No âmbito das Escolas de ensino médio, há outra realidade, ainda mais preocupante, provocada pela falta de entusiasmo de parte do alunado, atraído, em grande escala, pelas drogas e pela violência das gangues de bairros.

Comprovando a assertiva, dados do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece), relativos ao desempenho Escolar de 2008, constatam: 80% dos estudantes do ensino médio, submetidos à avaliação, tiveram rendimento crítico ou muito crítico. Em Matemática, os números são alarmantes, pois 85% deles não têm o domínio sobre as quatro operações e apenas 2,5% atingiram o nível desejado. O Spaece alimenta as políticas de transformação dessa catástrofe.

Quanto à Língua Portuguesa, a situação não é diferente, pois, 80% dos alunos do ensino médio das Escolas públicas do Estado só lêem frases curtas, na ordem direta, e não sabem desenvolver textos simples. Também nessa disciplina, apenas 2,8% dos avaliados atingiram o nível desejado. Se houvesse aprofundamento para outros ramos do conhecimento, a situação não seria diferente, diante do ambiente sem atrativos do ensino.

A Secretaria de Educação Básica aponta o baixo índice de eficiência dos estudantes como relacionado com a falta de base Escolar, pois os alunos chegam ao ensino médio com a aprendizagem defasada. Essa conseqüência está relacionada com a necessidade de o jovem ingressar no mercado de trabalho precocemente e o crescente envolvimento com as drogas e a marginalidade. Todos esses aspectos impactam na Escola. Estes resultados estão provocando reações.

O governo do Estado partiu para quebrar o imobilismo desse sistema caótico com um plano de metas, propondo à Assembléia Legislativa a aprovação de dois projetos de lei instituindo premiações para professores e alunos que revertam essa situação inadequada. O prêmio "Aprender para Valer" contempla as Escolas que alcançarem as metas anuais de evolução da aprendizagem, com um mês de remuneração adicional para o seu corpo funcional. Os alunos destacados nas disciplinas Língua Portuguesa e Matemática, no Spaece, ganharão computadores.

Em meio a essas vicissitudes, o Estado programou, ainda, realizar concurso público para recrutar quatro mil professores do ensino médio, oferecendo-lhes remuneração de R$ 1.327,66 por 40 horas semanais de trabalho. Duvida-se do sucesso da empreitada por haver, atualmente, lecionando em situação precária, 10 mil professores temporários.

O concurso não solucionaria a carência de mestres na esfera pública. Baixo nível da aprendizagem ocorre também nas áreas das disciplinas Física, Química e Biologia. Com essa remuneração, poucos professores licenciados serão habilitados, pois ela situa-se abaixo do vencimento oferecido a um soldado do Ronda do Quarteirão.

A Prefeitura de Fortaleza também está oferecendo 1.246 vagas para professores de áreas específicas do ensino fundamental. A remuneração é maior, R$ 1.693,33 por idêntica carga horária. O equacionamento dos problemas educacionais supera essas saídas. Ainda assim, a crise exige maior criatividade.

Fonte: 21/09/2009 - DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

Na última terça-feira, 15, a Secretaria da Habitação e Saneamento Ambiental – SEHABS, em parceria com a Secretaria da Educação, realizou concurso de redação “Saneamento é Vida”. Participaram 500 alunos, estudantes do 7º ano das escolas municipais Ivonir Aguiar, Maria do Carmo Andrade, Osmar de Sá Ponte, Paulo Aragão, Padre Osvaldo Chaves e Carlos Jereissati., escolas que estão localizadas nas áreas de intervenção dos Projetos de Ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário dos bairros Centro, Pedrinhas, Derby, Dom Expedito, Sinhá Sabóia, Cohab I e Cohab II.A premiação para os vencedores será 1 (uma) bicicleta para o 1º colocado, 1 (um ) MP4 para o 2º e 1 (um) kit escolar para o 3º colocado. O resultado será divulgado no dia 28 de setembro nas referidas escolas e no site da Prefeitura.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009
Se não é possível afirmar que as mulheres são mais estudiosas do que os homens - porque ninguém quer criar uma guerra entre os sexos - uma pesquisa revela que elas, ao menos, ficam mais anos na escola do que eles. São 7,2 anos contra 6,9, em média, no Brasil.

A informação é da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2008, divulgada nesta sexta-feira (18) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A diferença entre os gêneros é maior na região Nordeste, onde as mulheres têm quase um ano a mais na escola do que os homens: 6,3 anos delas contra 5,5 deles.
O Sudeste é responsável por uma situação mais igualitária: mulheres estudam, em média 7,7 anos, e homens, 7,6. No entanto, as mulheres do Sudeste foram as únicas que não tiveram aumento no número de anos na escola de 2007 para 2008. De acordo com a Pnad, em média, o país aumentou sua escolaridade em cerca de dois meses.
Jovens ficam mais tempo na escola
As mulheres de 20 a 24 anos se destacam no país por passarem mais anos nas instituições de ensino - ao todo 9,8 anos. Os homens com essa faixa etária tiveram 9,1 anos na escola. Mas se as jovens são as que mais estudam, as senhoras com 60 anos ou mais constituem o grupo de pessoas com menos tempo de formação - apenas 3,9 anos na média do país. A terceira idade do sexo masculino tem dados um pouco melhores: 4,3 anos.
Há mais mulheres analfabetas
No quesito analfabetismo, as mulheres constituem o famoso clichê do sexo frágil: no país, há predominância de mulheres sem instrução e incapazes de redigir bilhetes simples. Elas são 50,4% dos não letrados do país - 7,4 milhões dos 14,2 milhões de analfabetos. Mas entre as crianças, adolescentes e jovens de até 24 anos, as moças têm conseguido obter mais instrução do que os homens. É só entre os adultos com mais de 25 anos que as estatísticas desfavorecem o sexo feminino.
Fonte: 18/09/2009 - UOL Educação
Simone Harnik


A taxa de pessoas analfabetas teve uma redução insignificante de 2007 para 2008, passando de 10,1% para 10%, o equivalente a 14,2 milhões de pessoas com mais de 15 anos que não sabem ler e escrever um bilhete simples. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), divulgada hoje (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, o resultado é surpreendente, porque mostra que a taxa “caiu muito pouco”. Ele destacou um aumento de 140 mil analfabetos entre as pessoas com mais de 25 anos, especialmente no Sul e no Sudeste, o que para ele não é “algo compreensível”. “É um dado estranho. Supostamente, é como se pessoas que se declararam alfabetizadas em um ano se declarassem analfabetas no [ano] seguinte.” O documento divulgado pelo IBGE mostra também que o número de analfabetos funcionais (proporção de pessoas com mais de 15 anos de idade e menos de quatro anos de estudo) apresentou uma redução maior no período, de 0,8 ponto percentual, sendo estimada em 21% em relação ao total da população nessa faixa etária (30 milhões de pessoas).
Para o coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, acelerar a queda do analfabetismo depende de medidas que atraiam os adultos para escola, além do combate às desigualdades sociais e raciais. Segundo ele, os programas atuais já atingiram os objetivos e precisam de renovação. “As estratégias não conseguem mais surtir efeito”, afirmou. “Mesmo em São Paulo, o estado mais rico da Federação, há um grande contingente de analfabetos. As pessoas não acreditam que podem voltar ao mundo do conhecimento. Para alcançá-las são necessárias campanhas, mais recursos e uma gestão melhor”, acrescentou Daniel Cara. O ministro da Educação também avalia que a estagnação do analfabetismo em regiões como o Sul e o Sudeste é “preocupante”. “Apesar de apresentarem um percentual menor do que outras regiões, a estagnação preocupa porque, até mesmo pela questão demográfica, sem nenhum esforço de governo, a taxa já deveria ter caído”, disse Haddad.
A Pnad também constatou o analfabetismo entre as crianças em idade escolar, de 10 a 14 anos, que já deveriam ter aprendido a ler e escrever. Entre elas, o índice alcançou 2,8% do total de brasileiros nessa faixa etária. A redução é 0,3 ponto percentual em relação aos dados de 2007. No Nordeste, a taxa de analfabetismo entre as pessoas com mais de 15 anos (19,4%) é quase o dobro da média nacional. Segundo a Pnad, nessa região, o índice de crianças entre 10 e 14 anos que não sabem ler e escrever supera a taxa verificada no Sul e no Sudeste.
Entretanto, foi também o Nordeste que registrou a maior queda no percentual de analfabetos: de 19,9% em 2007 para 19,4% em 2008. Na avaliação do ministro, a redução é resultado do foco do programa Brasil Alfabetizado na região. “Hoje 80% [das ações] do programa estão no Nordeste, por isso é natural que o analfabetismo tenha uma redução maior lá. Isso ocorreu especialmente na faixa etária maior de 25 anos, que é o público do programa”, ressaltou o ministro.



Fonte: 18/09/2009 - Agência Brasil
Isabela Vieira e Amanda Cieglinski
quinta-feira, 17 de setembro de 2009
Retrato do ensino público indigna educadores, que discutiram a defasagem de aprendizado no Ceará
Os resultados do Sistema Permanente de Educação Básica do Ceará (Spaece) que apontam baixos índices de aprendizagem dos alunos do ensino médio, em Português e Matemática, repercutiram amplamente no dia de ontem, após o Diário do Nordeste ter publicado, com exclusividade, a pesquisa sobre a dificuldade dos alunos em realizar leitura de textos e operações matemáticas básicas.

Durante o Encontro Estadual de Política e Administração da Educação, aberto na tarde de ontem, no auditório Banco do Nordeste, professores, diretores de Escolas e coordenadores, discutiram o tema “Gestão da Escola e da aprendizagem”, com aversão aos indicadores revelados na matéria. “A atual condição do ensino no Ceará, que foi sendo consolidada ao longo de 40 anos devido a uma expansão massificada, é deplorável. A conseqüência foi deixar um legado de gerações despreparadas”, disse a presidente da Associação Nacional de Políticas e Administração da Educação, Maria Luiza Chaves, ao referir-se a reportagem.

Do mesmo modo, o conferencista Elízio Pazeto, doutor em Planejamento e Avaliação Educacional, retrucou o resultado e disse que o problema de aprendizagem inclui diversos fatores psicossociais que precisam ser acompanhados pelas Escolas. “A aprendizagem significa, sobretudo, ter condições de aprender. Se a saúde não vai bem, se a família está desajustada, se existem problemas em outras ordens, eles vão interferir em todo o processo.

Diante disto, é necessário um acompanhamento psicossocial. Uma equipe multidisciplinar deve atuar dentro das Escolas para gerir todas a informações oriundas destas avaliações”, ressaltou. A secretária da Educação Básica do Estado, Izolda Cela, disse que já existem projetos com este propósito. “Trata-se da figura do Diretor de turma, projeto piloto que já acontece em todas as Escolas de Educação profissional e deve se expandir para a toda a rede estadual”. Cada sala tem um professor diretor de turma, que dentro de sua carga horária reserva um espaço para acompanhamento individual dos alunos, conhecendo a vida de cada um. “A família precisa estar mais na Escola, não aceitar determinadas coisas como normais, tal como a falta de professor de Português”, disse a secretária.

Segundo Pazeto, como se não bastasse, os conteúdos curriculares não são adequados. “Aulas expositivas e unicamente teóricas são inadequadas aos dias de hoje, elas não trabalham na prática as reais dimensões de leitura, interpretação, escrita e fala dos alunos. Desde a década de 1940 o modelo Escolar sempre foi o mesmo, de modo que todo o conhecimento sempre foi voltado para a teorização e não para a experiência”, denuncia.

Ainda de acordo com o especialista, o erro vai desde o conteúdo que é dado nas Escolas até a metodologia que é aplicada. “As aulas de Português, por exemplo, devem ir para além dos muros das Escolas; a aprendizagem deve ser vivencial. Os índices de avaliação que temos hoje trazem resultados por Escola, terminando pro não dar conta de retratar a aprendizagem individualizada”.

Fonte: 17/09/2009 - DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

Alunos cearenses de cursos técnicos de nível médio a distância terão a oportunidade de receber aulas práticas em laboratórios didáticos móveis, através do Programa Escola Aberta Técnica do Brasil (e-Tec).

O projeto do Ministério da Educação deverá atender a 800 estudantes do Ceará e a 734 de Tocantins. São 19 modelos diferentes de laboratórios adaptados para diversas áreas do ensino técnico, como a enfermagem, eletrônica, informática e agroindústria.
No Ceará são quatro cursos técnicos a distância ofertados em polos de sete municípios do estado: eletrotécnica, segurança do trabalho, informática e edificações. Segundo a coordenadora geral do e-Tec Ceará, Maria Benedita Lopes Rocha, o laboratório móvel atenderá alunos em municípios que não têm acesso a esses equipamentos para as aulas práticas. “Temos municípios que ficam a mais de 400 quilômetros da capital e não contam com infraestrutura. Eles não teriam essas tecnologias para aulas práticas, mas o quadro muda com o projeto do e-Tec”, afirma. Em Tocantins o programa atende 734 estudantes.
A compra dos caminhões e laboratórios deverá ser realizada nos próximos dois meses pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Serão R$ 12 milhões para financiar a compra de cerca de 50 caminhões pelas escolas interessadas. Mais de R$ 18 milhões financiarão a instalação de equipamentos para os laboratórios. Cada instituição poderá escolher o tipo de laboratório mais adequado para os cursos à distância ofertados. O tamanho do laboratório pode variar entre 35 e 75 metros quadrados.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Seed

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) promove hoje (16) ato público em protesto pelo não cumprimento, em vários estados e municípios, da Lei nº 11.738, de 16/07/08, que estipula piso nacional para os professores.

A lei estabelece o piso de R$ 950, válido a partir de janeiro deste ano, hoje equivalente a R$ 1.132,40. A concentração será ao meio-dia no Auditório Petrônio Portela, do Senado.

A implantação do novo salário foi questionada em ação direta de inconstitucionalidade (Adin 4167) movida pelos governadores do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná, de Mato Grosso do Sul e do Ceará no Supremo Tribunal Federal (STF), com apoio dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Roraima, do Tocantins e Distrito Federal. Eles alegam falta de recursos para arcar com as despesas.

A reivindicação da CNTE é de que o Supremo julgue o mais rápido possível a Adin 4.167 para garantir o cumprimento do piso a partir de 1º de janeiro de 2010. A manifestação será às 14h, em frente ao STF. Após o protesto, os educadores marcharão até o Ministério da Educação para novo ato público. A diretoria da CNTE tem audiência marcada às 17h com o ministro Fernando Haddad.

Fonte: 16/09/2009 - Terra Educação
Governo premiará as escolas que atingirem as metas anuais
de evolução da aprendizagem do Ensino Médio



A Educação no Ceará é preocupante. De acordo com dados do Sistema Permanente de Avaliação de Educação Básica do Ceará (Spaece) 2008, 80% dos estudantes do ensino médio que se submeteram à avaliação tiveram rendimento crítico ou muito crítico. Na avaliação de Matemática os números são alarmantes, uma vez que 85% dos estudantes não têm domínio sobre as quatro operações matemáticas e somente 2,5% atingiram o nível desejado.

Em relação a Língua Portuguesa, 80% dos alunos de ensino médio das Escolas públicas do Estado só lêem frases curtas na ordem direta e não sabem desenvolver textos simples. Apenas 2,8 % atingiram o nível desejado na avaliação.

O Diário do Nordeste denunciou, com exclusividade, nas edições de segunda (13) e terça-feira (14) que a Educação e saúde são as áreas que mais enfrentam problemas em Fortaleza. Para a secretária da Educação Básica, Izolda Cela, o baixo índice de eficiência dos estudantes, está relacionado com a falta de base Escolar, ou seja os alunos chegam ao ensino médio com a aprendizagem defasada.

Ela associa o baixo desempenho da aprendizagem com a necessidade do jovem entrar no mercado de trabalho precocemente e o crescente número de adolescentes que se envolvem com droga e marginalidade. "Todos esses aspectos em conjunto terminam impactando na Escola. Precisamos qualificar nossos professores, e expandir o número de Escolas no Estado".

Ainda segundo a secretária, 49 novas Escolas de ensino médio estão sendo construídas no Ceará, principalmente nas zonas rurais, onde o problema da evasão é maior. "O índice de abandono no Estado é de 19%. Nas zonas rurais, temos o agravante do sistema de transporte ruim, por isso precisamos de mais Escolas", destaca.

Plano de Metas

Na tentativa de uma solução para a situação, diretores Escolares apresentaram Plano de Metas, que servirá como base para acompanhamento da Escolas públicas. "Com o "Plamentas" iremos acompanhar a evolução das matriculas do ensino médio, a redução do abandono e os indicadores de aprendizagem", ressalta Izolda Cela. Para Plácido José de Sousa, diretor do Liceu de Maracanaú, todos os gestores recebem um diagnóstico mostrando os índice de aprendizagem de sua Escola, do Estado e do País, ele ressalta a importância do Plano de Metas. "Se todos os gestores conseguirem atingir os objetivos do Plano de Metas, a Educação no Ceará melhoraria em um curto espaço de tempo", observa.

Projeto de lei




Durante a cerimônia de posse dos novos diretores de Escolas públicas estaduais, na última segunda-feira, o governador Cid Gomes assinou dois projetos de lei a serem encaminhados à Assembleia Legislativa. Uma das matérias institui o prêmio "Aprender para Valer", que consiste na premiação do quadro funcional de todas as Escolas que atingirem as metas anuais da evolução da aprendizagem do ensino médio. A meta de evolução mínima é de 10% sobre a média de proficiência do Spaece 2008, tanto em Língua Portuguesa como Matemática.

Além da meta de evolução, a Escola terá que ter uma média de participação de 80% dos alunos na avaliação do Spaece. A premiação será um mês a mais de remuneração de acordo com o vencimento de cada funcionário das Escolas.

O outro projeto institui a premiação para alunos do ensino médio, com melhor desempenho acadêmico, nas Escolas de rede pública de ensino do Estado. Cada aluno que atingir as médias de proficiência adequadas em Língua Portuguesa e Matemática do Spaece, receberá um microcomputador. Para Cid Gomes as dificuldades educacionais não devem ser vista como um quadro de desânimo e sim como um desafio para diretores e estudantes.

Fonte: Diário do Nordeste


A Secretaria da Saúde e Ação Social de Sobral prepara a estratégia para, no dia 19 deste mês, sábado próximo, vacinar toda criança com menos de 5 anos em Sobral durante a segunda etapa da campanha nacional de vacinação contra a poliomielite, doença conhecida como paralisia infantil. Com o tema “Não dá pra vacilar, mais uma vez, tem que vacinar”, o Ministério da Saúde tem como meta atingir cerca de 14,7 milhões de crianças, o que representa 95% das crianças menores de cinco anos.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Pesquisa da Firjan mostra as falhas de Fortaleza em relação à educação, saúde e emprego e renda


O setor da Educação em Fortaleza enfrenta muitos desafios, como diminuir a distorção idade-série, a evasão Escolar e melhorar o tempo em sala, como apontou matéria publicada, ontem, pelo Diário do Nordeste, mostrando que a Capital cearense está no ranking das piores cidades para se viver no País. Os dados são de pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que aponta Fortaleza como uma das menores em desenvolvimento municipal, ao considerar dados relacionados à saúde, Educação e emprego e renda.

No ranking da Firjan, a Capital cearense ganha apenas de Salvador, Porto Velho, Rio Branco e Macapá, ficando abaixo de outras 22 capitais brasileiras. Com relação à Educação municipal, apesar dos muitos avanços que já ocorreram nos últimos anos, os desafios são vários. Isso porque ainda é comum o fato de crianças estarem na sala de aula sem habilidades primárias de leitura escrita e de ainda faltar estrutura básica de funcionamento, como instalações e professores.

Fonte: 15/09/2009 - DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

O deputado requereu, desde o dia 13 de agosto passado, junto a Assembleia Legislativa do Ceará, a criação desta frente parlamentar, com o objetivo específico de buscar soluções para a educação no Ceará.
Ressalta o deputado Professor Teodoro que as frentes parlamentares são instrumentos de mobilização diante de questões que envolvem o Poder Legislativo e a sociedade, e a preocupação com a oferta de educação com qualidade deve ser o alvo dos esforços da sociedade brasileira nos próximos anos, sendo que este tema, a educação ocupa o sétimo lugar no rol de preocupações dos brasileiros, mas que no Ceará este tema é um dos que mais deixam apreensivos os nossos conterrâneos, razão da iniciativa adotada.
Esta frente terá como objetivo inicial, através de projetos e programas desenvolvidos pelo poder público, iniciativa privada e ONG’s, mobilizar de forma consistente e efetiva a sociedade civil, empresas e governos para a conscientização e priorização do problema da educação pública a fim de somar esforços e empreender ações e soluções que melhorem a qualidade do ensino.
Esta iniciativa do Professor Teodoro implicará também no envolvimento das universidades locais, rádio e televisão, Secretarias da Educação (estaduais e municipais), Prefeituras, Câmara de Vereadores, lideranças comunitárias e religiosas, sindicatos e associações de classe, entre outras formas de representação e participação popular.
segunda-feira, 14 de setembro de 2009
Mais uma vez os sobralenses recepcionaram o presidente Lula e sua comitiva de ministros e secretários, que vieram a Sobral inaugurar o IFCE - Instituto Federal de Ensino Tecnológico de Sobral e assinar ordens de serviços de mais obras.
IFCE: Núcleos de Sobral e Limoeiro do Norte formarão 2,4 mil alunos por ano
As duas unidades juntas serão responsáveis pela formação de 2,4 mil alunos por ano nos níveis técnico e superior. Quando concluídas, até o final de 2010, o Ceará, que já tinha em funcionamento nove núcleos, saltará para 12 escolas atendendo 15 mil alunos. O investimento totaliza cerca de R$ 5 milhões. As escolas integram o plano de expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica que prevê a criação de 214 unidades no Estado e investimento de R$ 1,1 bilhão.

Leônidas, Lula e Cid em visita às instalações do IFCE


Autoridades descerram placa inaugural do IFCE


Lula observa camisa do Projeto Vida que te quero Viva


Sobralenses recebem Lula com muita euforia


Cid Gomes e ministro da Educaçãoassinam convênio de 20 escolas profissionais

Com recursos do Governo Federal da ordem de R$ 113 milhões, Sobral e outros 19 municípios do Ceará, foram contemplados, nesta quinta-feira, dia 10, às 13 horas, pelo presidente Lula, com a assinatura de ordem de serviço para a construção de 20 escolas profissionais, que passarão a atuar na formação de 2,4 mil alunos por ano. O convênio foi assinado pelo ministro da Educação Fernando Haddad e o governador Cid Gomes. As unidades que começarão a funcionar, no próximo ano, irão atender aos municípios de Acaraú, Aurora, Beberibe, Guaraciaba do Norte, Hidrolândia, Icó, Ipu, Itaitinga, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Massapê, Mauriti, Pedra Branca, Quixeramobim, Sobral, Tamboril, Tauá, Tianguá, Trairi e Várzea Alegre. Em Acaraú e Mauriti, os novos prédios vão receber os alunos de duas escolas de educação profissional já implantadas.

Obrigada pela visita!!!

Redes Sociais

Hora certa

Previsão do Tempo

A Hora da e Escola

A Hora da e Escola
Toda quinta-feira, às 13h30min, na Rádio Caiçara

Blogs Indicados

Meus Vídeos

A Embriaguez do Movimento

Posts do Blog

Seguidores

Popular Posts