Quem sou...

Minha foto
Professora Ms Herik Zednik
Este Blog foi criado com o intuito de estimular uma reflexão sobre a Educação. Discutiremos a educação como processo de mudança, daí o nome educere, que significa conduzir-se de um lugar ao outro ou de uma situação para outra. Neste sentido, refletiremos sobre uma educação que vem de dentro para fora e não apenas falaremos da educação formal, mas de tudo que a permeia e a ela é atribuído. Desta forma, entendemos que "tudo é uma questão de educação" e que, por isso, abordaremos notícias, campanhas, projetos, política, cidadania, ciência e tantos outros assuntos, afinal, educação é muito mais do que produzir conhecimento formal, é também ampliar horizontes, transformar atitudes, vivenciar cidadania.
Visualizar meu perfil completo


"A mais potente arma nas mãos do opressor é a mente do oprimido" - Steven Biko

"Leia! Leia não apenas as palavras, imagens e símbolos estampadas nas mais diversas mídias. Leia o mundo nas suas mais diversas formas e significados, leia as entrelinhas. Leia o tangível, o audível, o visível e quem sabe até o invisível. Leia o mundo e faça as mais diversas interrogações, afinal como diria nosso educador Paulo Freire "a leitura do mundo antecede a leitura da palavra". Nós estamos no mundo e uma parte dele está em nós através de nossas leituras."
Herik Zednik

“O fracasso do professor começa no momento que ele desiste de aprender”
Herik Zednik


"Quanto mais simples é a pessoa, mais ela sobe no meu conceito"
Herik Zednik

"Não conheço nenhum país, cidade ou município no mundo que tenha se desenvolvido sem ter investido seriamente em educação"
Herik Zednik

"Não importa quanto dinheiro tenha, quantos cargos ocupe, quanta fama possua ou poder detenha, a essência precisa ter dignidade, honestidade, generosidade e também muita humildade."
Herik Zednik

Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade. " Confúcio

"Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.." Clarice Lispector

"A educação só produz resultados em sociedades em que as pessoas podem fazer escolhas pessoais e econômicas, dando-lhes a oportunidade de serem criadoras e descobridoras." (Odemiro Fonseca em "Benefícios da liberdade")

"Educação serve pouco se as pessoas não forem livres. É só lembrar o que aconteceu nos países socialistas, onde a educação era considerada de qualidade."

"O discurso da impossibilidade da mudança para a melhora do mundo não é o discurso da constatação da impossibilidade, mas o discurso ideológico da inviabilização do possível" Paulo Freire

"A mente que se abre a uma nova idéia nunca voltará ao seu tamanho original." Albert Einstein

"Bendito, bendito é aquele que semeia livros, livros a mão cheia e manda o povo pensar; o livro caindo na alma, é germe que faz a palma, é chuva que faz o mar.". Castro Alves

Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px

Featured Posts

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Anos após terem garantido a universalização do ensino fundamental, os governos federal, estaduais e municipais ainda não conseguiram avançar e assegurar o acesso da população brasileira ao ensino médio público, que se tornou o principal gargalo da educação no País, de acordo com estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

De acordo com o estudo apresentado hoje (15) em São Paulo, "Presença do Estado no Brasil: Federação, suas unidades e municipalidades" que mapeia a participação dos governos em nove setores, havia, em 2007, 136.903 escolas de ensino fundamental municipais, estaduais e federais no País e apenas 17.874 de ensino médio.

Dos 51,16 milhões de alunos matriculados em todos os níveis de ensino, com exceção do universitário, 31,4 milhões estudavam no ensino fundamental e apenas 8,2 milhões no ensino médio. Os dados foram levantados com base em informações do Ministério da Educação. Cerca de 971 mil habitantes não possuem acesso direto ao ensino médio porque 46 municípios não possuem escolas deste tipo no País.

Em outra pesquisa, divulgada no início do mês, o Ipea já apontava que apenas a metade dos jovens brasileiros de 15 a 17 anos frequenta o ensino médio na idade adequada e que 44% ainda não concluíram nem o ensino fundamental. O acesso ao ensino superior é ainda mais restrito, com frequência de apenas 13,6% dos jovens de 18 a 24 anos. Uma boa parcela dos que têm mais de 18 anos - cerca de 30% - conseguiu completar o ensino médio, mas sem buscar a continuidade de estudos no ensino superior.

Estabelecimentos de ensino superior das três esferas públicas somam 249 estabelecimentos, concentrados em apenas 157 municípios. Dos municípios que possuem esses estabelecimentos, 46% estão no Sudeste.

O dado é preocupante na medida em que o crescimento da economia eleva a demanda por mão de obra qualificada. "Temos um gargalo importante no acesso à educação média e universitária. A presença do Estado na educação média é pequena", afirmou Márcio Pochmann, presidente do Ipea.

Ele alerta que esse cenário exige ações imediatas dos governos. "À medida que a trajetória de crescimento econômico sustentável se mantiver, teremos problemas com escassez de mão de obra qualificada que têm de ser resolvidos agora", afirmou. "Educação e cultura têm papel estratégico no século 21, em que domina a sociedade do conhecimento. Tem de haver um novo olhar do Estado nessa área", avalia.

Fonte: 16/12/2009 - Agência Estado

Mais uma vez Sobral é destaque na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). A OBMEP é um projeto que vem criando um ambiente estimulante para o estudo da Matemática entre alunos e professores de todo o país. A olimpíada, que premia os melhores estudantes de matemática do país, começou em 2004 e, desde então vem crescendo a cada ano de forma quantitativa e qualitativa.
Este ano (2009), Sobral conquistou uma medalha de ouro no nível 2 (8º e 9º ano), através da aluna Vitória Myriam Moura Alcântara, da Escola Vicente Antenor. Ela ficou entre as 100 premiadas no Brasil e entre as 5 do Estado do Ceará. Ao todo, no Estado do Ceará foram 3 medalhas de ouro para o Colégio Militar, uma para Sobral e uma para Varzea Alegre (escola estadual). Além dessa medalha de ouro, Sobral ficou com 5 menções honrosas no nível 2.

Escolas com menções honrosas (nível 1):

Vicente Antenor 2 (Rafael Arruda)
Pery Frota 1 (Patriarca)
Joaquim Barreto 1 (Jaibaras - setor III)
José Inácio 1 (Jordão)

Escolas com menções honrosas (nível 2)

Raimundo Pimentel - CAIC 1 (sede)
Francisco Monte 2 (Taperuaba)
Francisco Aguiar 2 (Aracatiaçu)
Carlos Jereissati 1 (sede)
Osmar de Sá Ponte 1 (sede)
Raul Monte 2 (sede)
Dinorah Ramos 1 (sede)

O Secretário de Educação, Professor Júlio César da Costa Alexandre, parabeniza todos os alunos premiados, juntamente com as escolas e professores envolvidos e, em breve teremos a cerimônia de premiação.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Depois de passar por Meruoca, o caminhão do Projeto Patativa aportou na Praça de Cuba, em Sobral. O caminhão baú passará dois dias (sexta e sábado) aberto a população para visitas gratuitas, com mostras de livros, filmes, fotografias e informações sobre Patativa do Assaré, que em 2009, completaria 100 anos.
No caminhão adaptado, a população tem acesso gratuito a vida e obra de Patativa do Assaré, conhecendo a sua discografia, bibliografia e filmografia completa. Patativa do Assaré Encanta em todo Canto é uma programação itinerante do Governo do Estado que tem objetivo difundir a importância da poesia popular pelo Estado.





A secretaria da Educação de Sobral promoveu nesta sexta-feira, dia 11, das 7h30 às 12h, no Teatro da ECOA, o Encontro com a Leitura, momento em que foi celebrado o Programa de Jornada Ampliada, através de apresentações protagonizadas por crianças e professores da rede municipal de ensino integrantes dos projetos: Escola Viva, Professor de Saúde e Prevenção na Escola, Professor Agente de Leitura, Amigos da Leitura e Fala Garotada.
A programação envolveu números de música, dança, teatro, literatura de cordel, contação de história. No encerramento foi apresentado o espetáculo “Os Bufões” encenado pela banda Dona Zefinha, uma banda de música brasileira que mistura música, teatro e dança a partir de elementos sonoros, cênicos e coreográficos.



Na ocasião, foi feita uma justa homenagem à Professora Iracema Sampaio, Coordenadora do Ensino Fundamental, que tão bem conduziu o programa da Jornada Ampliada, mas infelizmente está de partida para o Piauí.




Quinta-feira, 17/12, às 18h, o Prefeito Leônidas Cristino e o Secretário de Educação, Professor Júlio César, inaugurarão a construção da quadra esportiva da Escola Antônio Custódio localizada em Aprazível, bem como quatro novas salas de aula, que ampliarão a oferta de vagas na escola.

É importante ressaltar que as ações da gestão Leônidas Cristino acontecem simultaneamente na sede e nos distritos, estabelecendo dessa forma, uma atenção igualitátia aos munícipes, que estão recebendo todas as ações planejadas dentro do Plano da Gestão.




Segunda-feira, 07/12, no Auditório do Patronato Dom José de Meruoca, aconteceu a solenidade de Colação de Grau do Curso de Letras, em Meruoca. O evento simbolizou a conclusão do curso, que certamente é a celebração do estudante de uma grande conquista. A cerimônia de Formatura é um dos mais belos momentos da jornada. Com ela se compartilha a alegria com os entes mais queridos, assim como, expressa o reconhecimento para aqueles que, de alguma forma, contribuíram para essa vitória.

A solenidade contou com a presença do Deputado Estadual, Professor José Teodoro Soares, da Professora Herik Zednik Rodrigues, madrinha da turma, do Secretário de Esporte e Juventude de Sobral, Professor Osmar Vasconcelos, do ex-prefeito de Meruoca, João Coutinho, concludentes, familiares, professores e convidados. A mesa foi presidida pelo professor Petrônio Emanuel Timbó, representando o Magnífico Reitor da Universidade Estadual Vale do Acaraú-UVA, Professor Antônio Colaço.

Na oportunidade o Deputado Estadual, José Teodoro Soares, falou da importância da educação na vida do cidadão. Lembrou também, do tempo em que era seminarista e passava as férias em Meruoca. Falou dos projetos que vem defendendo na Assembléia Legistativa na área da educação.

A professora Herik Zednik destacou em seu discurso sete desafios inerentes a profissão de professor: o tempo; a qualidade; o domínio da linguagem e da informação; a criatividade; a disciplina; a ética; a responsabilidade perante o conhecimento e a sociedade.

A solenidade foi um momento de grande magnitude, onde dirigentes, professores, funcionários, pais e alunos externaram seus sentimentos para provar que a missão de ensinar foi cumprida e o esforço valeu a pena.


PARABÉNS AOS CONCLUDENTES!

Ana Cristina Barboza Teixeira, Benedita Érica Brito de Sousa, Conceição Marques Andrade, Emanuella Caetano Trajano, Eronilde da Costa Diniz, Francisco Ivan Fonseca Pereira, José Edson Batista, José Flávio Batista da Silva, Liduina Bernardo Martins, Maria de Jesus Dias Silva, Maria Marlúcia Oliveira de Vasconcelos, Miguel Cícero Pio Rodrigues, Rosemary Araújo Santos e Tânia Maria Gertrudes Monte Oliveira.


quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O governo ampliou o Programa um Computador por Aluno, que reduz o custo de computadores para a rede pública de ensino. O programa desonera partes e componentes de três impotos federais (IPI, PIS/Cofins e Imposto de Importação). A condição do governo é que os produtos tenham um índice mínimo de peças produzidas pela indústria brasileira.

O objetivo da medida é aumentar a inclusão digital a partir das escolas públicas e a renúncia fiscal é de R$ 150 milhões em 2010.

Para manter a inclusão digital, o governo resolveu prorrogar até 2014 a desoneração de PIS/Cofins na venda de computadores nas lojas. O resultado esperado é a continuação do crescimento na produção e nas vendas e a ampliação do acesso à tecnologia da informação. Com a medida, o governo deixa de recolher R$ 1,6 bilhão em 2010.

Fonte: 10/12/2009 - Agência Brasil
A abstenção de quase 40% dos participantes do Exame Nacional do ensino médio (Enem) de 2009, a maior já registrada desde a criação da prova, há 11 anos, é o desdobramento natural da sucessão de equívocos que as autoridades educacionais cometeram a partir do momento em que tentaram converter esse importante mecanismo de avaliação em bandeira política com vistas às eleições de 2010. Dos 4,1 milhões de inscritos, apenas 2,5 milhões fizeram o teste no último fim de semana. Com 1 milhão de inscritos, São Paulo foi o Estado que registrou o maior número de ausentes, com um índice de abstenção de quase 46,9%.

Concebido como um teste optativo e aplicado pela primeira vez em 1998, o Enem sempre gozou de enorme credibilidade no meio estudantil, batendo recordes sucessivos de inscrições.

Segundo o Censo Escolar da Educação Básica, o índice de inscrição no Enem atinge 80% dos estudantes da 3ª série do ensino médio. Enquanto seguiu critérios rigorosamente pedagógicos, a prova foi o principal instrumento de avaliação das Escolas públicas e privadas, dando ao Ministério da Educação (MEC) condições de identificar as diferenças entre elas e de tomar as medidas necessárias para reduzi-las.

As coisas começaram a mudar no primeiro semestre deste ano, quando o MEC decidiu reformular o sistema de avaliação, com o objetivo de utilizá-lo como alternativa para os vestibulares e de unificar o processo seletivo nas universidades federais.

Inspirada no modelo educacional dos Estados Unidos, a proposta foi bem recebida pelas instituições de ensino superior. Elas só recomendaram que a mudança fosse feita sem pressa e com planejamento adequado, para não comprometer a excelente imagem do Enem perante os alunos do ensino médio e pôr em risco o calendário das universidades.

As autoridades educacionais, porém, desprezaram a advertência e agiram de modo açodado, procurando persuadir universidades a substituir os vestibulares pelo Enem ainda em 2009. À medida que o MEC implementou o "novo" Enem a toque de caixa, para usá-lo como trunfo político a serviço de um projeto eleitoral, o que se temia aconteceu. Desde o início, houve falhas gritantes de infraestrutura, com o colapso da rede de informática do MEC, que não estava preparada para dar conta do alto número de inscrições pela internet.

Depois, os Correios atrasaram a entrega dos cartões de inscrição. A definição dos locais da prova também gerou problemas, pois muitos candidatos teriam de se deslocar para cidades distantes até 330 quilômetros de suas residências.

A falha maior, no entanto, foi de logística e de segurança, com o vazamento da prova na madrugada de 1º de outubro, dois dias antes de sua realização, quando o Estado publicou reportagem mostrando a tentativa de venda das questões.

Confirmado o vazamento, o teste teve de ser anulado, o que obrigou o MEC a gastar R$ 33 milhões apenas com a contratação de uma gráfica para a impressão de uma nova prova. E, para não pôr em risco o calendário Escolar, as mais conceituadas universidades do País, como a USP e a Unicamp, desistiram de utilizar os resultados do "novo" Enem em seus processos seletivos.

Nas últimas semanas, quando se imaginava que todos os problemas para a realização do Enem de 2009 já haviam sido contornados, surgiram outros. Um deles foi a elaboração de questões com nítido viés político e ideológico, que acabaram sendo anuladas. Outro problema foi a elaboração de perguntas confusas e com erros conceituais, que também tiveram de ser anuladas.

Além disso, após o término do Enem, no domingo, as autoridades educacionais divulgaram um gabarito oficial errado, o que as obrigou a retirá-lo do ar, sob a justificativa de que o site do MEC estava "embaralhado".

Com tudo isso, o que foi planejado para ser uma prova inovadora afetou a credibilidade do Enem, o que é reconhecido até pelo governo. O número recorde de abstenções dá a medida do desafio que ele terá de enfrentar para tentar recuperar a imagem daquele que, quando a racionalidade administrativa ainda imperava no MEC, era um dos mais eficientes mecanismos de avaliação Escolar do País.

fonte: 9/12/2009 - O Estado de S. Paulo

Vinde, vinde

moços e velhos,

vinde todos, apreciar.

como isso é bom,

como isso é belo.

como isso é bom,

é bom demais.

olhai, olhai, admirai

como isso é bom,

é bom demais.

Tradição Popular

Vinde todos participar de um Encontro com a Leitura, onde celebraremos o Programa de Jornada Ampliada, através de apresentações protagonizadas pelas crianças e professores dos Projetos: Escola Viva, Professor de Saúde e Prevenção na Escola, Professor Agente de Leitura, Amigos da Leitura e Fala Garotada.

A programação envolverá números de música, dança, teatro, literatura de cordel, contação de história... Será uma pequena amostra das atividades desenvolvidas nas escolas da rede municipal de ensino de Sobral no Programa Jornada Ampliada e que tem como eixo principal a leitura.

Para o encerramento da manhã teremos um espetáculo “Os Bufões” encenado pelo banda Dona Zefinha, uma banda

de música brasileira que mistura música, teatro e dança a partir de elementos sonoros, cênicos e coreográficos. Os Bufões é uma comédia musical infantil que retrata a história do popular circo mambembe nordestino. Os palhaços “Bufão”, “Panfeto” e “Pafim”, fazem de tudo para que a magia e a beleza do circo não cheguem ao fim. Palhaçadas, piruetas, mágicas, musicas, cirandas, trava-línguas, adivinhações, perna de pau, bonecos, histórias e canções. Um show para todas as idades onde a palavra de ordem é “alegria”.


A Prefeitura Municipal de Sobral, através da Secretaria da Cultura e do Turismo Convida para o Concerto Natalino no dia10 de dezembro, quinta-feira, às 5h da tarde com Juca Viana e o Coral Vozes de Sobral. Realização – Prefeitura Municipal de Sobral Apoio – Governo do Estado do Ceará, CDL Caixa Econômica Federal e SESC.
O deputado se dirigiu aos participantes da celebração e falou sobre a vida e obra de D. José Tupinambá da Frota, considerado o segundo construtor de Sobral e um dos maiores sobralenses de toda a história.

No domino, 6 de dezembro, o deputado Professor Teodoro esteve pela manhã em visita ao município de Meruoca, onde participou da missa na igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, celebrada pelo vigário local, padre Emanuel Franklin.
No final da homilia, atendendo convite do pároco, o deputado se dirigiu aos participantes da celebração e falou sobre a vida e obra de D. José Tupinambá da Frota, considerado o segundo construtor de Sobral e um dos maiores sobralenses de toda a história.
Ao final de sua exposição, Teodoro convidou a todos os presentes para visitarem a exposição do ilustre sobralense, instalada no Salão Paroquial daquela igreja.
Após este compromisso, Teodoro, em companhia da professora Herik Zednik, liderança política daquele município, visitou o distrito do Anil e conheceu o trabalho em mutirão realizado pela comunidade em benefício da reforma da Igreja de Nossa Senhora das Graças.
O Deputado foi festejado por lideranças do distrito, dentre elas as Sras. Maria da Costa Pires (Maria Bento), Raquel da Costa, Rosana da Costa, Maria Miriam Pires e os Srs. José Sandoval e Irisvaldo Pires, além do pedreiro João Uzino.
O deputado mostrou-se bastante sensibilizado com o trabalho realizado pela comunidade, e aproveitando a oportunidade, informou que vai ajudar os moradores a concluírem aquela obra, que está sob a coordenação do padre Emanuel.
Em conversa com os moradores, o Deputado tomou conhecimento de algumas das dificuldades enfrentadas pela comunidade, porém o que mais chamou a sua atenção foi a falta de políticas públicas geradoras de emprego e renda naquela localidade.
Como sempre fez, o Professor Teodoro colocou sua atuação parlamentar e todos os seus esforços à disposição daquela comunidade para buscar a viabilização de soluções que atendam as necessidades daquele distrito.

Fonte: http://www.professorteodoro.com.br/index.php?pg=ler&id=826

Convite


Cantora, compositora e atriz Marta Aurélia finaliza em Sobral a temporada do seu espetáculo Minha Alma, depois de seis anos encantando o público de Fortaleza, Crato, Juazeiro do Norte, Guaramiranga e Icapuí. Marta Aurélia sintetiza música, teatro e literatura, celebrando as parcerias e os repertórios cantados em mais de vinte anos de carreira.
Sexta-feira, 11 de dezembro, às 20h no Teatro São João
Entrada franca
quinta-feira, 3 de dezembro de 2009


O II Colóquio Abrindo Trilhas para os Saberes promovido pelo Governo do Estado do Ceará através da Secretaria de Educação do Estado, teve como tema “Formação Humana, Cultura e Diversidade” e realizou-se entre os dias 1º e 4 de dezembro, no Porto D'Aldeia Resort, em Fortaleza.

Entre os 32 trabalhos de professores da rede pública de ensino do Estado apresentados, 3 deles destacaram experiências de Sobral, através da participação das Professoras Herik Zednik (Coordenadora de Comunicação da Secretaria de Educação de Sobral), Carmem Lúcia (Professora de Inglês da Escola Jarbas Passarinho) e Jacqueline Moraes (Professora de Geografia da Escola Jarbas Passarinho), que apresentaram e publicaram artigos científicos baseados na sua prática pedagógica.

Os artigos publicados foram: O uso da webquest como proposta metodológica para as aulas de Cartografia – autoria: profa. Jacqueline Rodrigues Moraes; Análise do uso de um objeto de aprendizagem de Física na compreensão de conceitos matemáticos – autoria: prof. Herik Zednik Rodrigues; O uso da tecnologia como incentivo no ensino-apendizagem da Língua Inglesa – profa. Carmem Lúcia C. V. de Oliveira;

Ao promover o evento, a Seduc busca valorizar os profissionais da educação, incentivar a continuidade da formação científica, bem como promover a educação básica com vistas à melhoria do processo de ensino e aprendizagem.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009
Ainda que não tenha dito como isto se transformará em política pública, deve ser elogiada a prioridade ao ensino pré-escolar que o ministro da Educação, Fernando Haddad, revelou na entrevista concedida com exclusividade ao Jornal do Brasil, na edição de ontem. Isso mostra que o ocupante da pasta está atento a uma das maiores lacunas da Educação no país. Estudos internacionais indicam que investimentos nesta fase da formação da vida do ser humano são fundamentais e que grande parte das desigualdades que surgirão mais tarde entre os indivíduos pode ser evitada no nascedouro.

No recém-publicado livro Educação básica no Brasil (Cam pus/Elsevier), um interessante artigo escrito pelos brasileiros Aloisio Pessoa de Araújo, Flávio Cunha e Rodrigo Moura e pelo americano James Heckman, Nobel de economia de 2000, mostra a importância da criação de programas educacionais voltados para crianças em idade pré-escolar que vivem em condições desfavoráveis.

É comprovado que crianças nascidas num ambiente marcado por famílias desestruturadas, por pais que não têm boa Escolaridade ou não dão incentivo aos estudos têm suas oportunidades comprometidas para o resto da vida. Os primeiros anos são determinantes no desenvolvimento da cognição – que está praticamente formada antes da entrada na Escola.

A consequência deste achado é simples. A sociedade teria muito a ganhar com investimentos de Educação na primeira infância. A atuação precoce seria uma forma de reduzir a repetência, combater preventivamente a violência e diminuir as desigualdades sociais.

Programas educacionais voltados para a pré-escola chegam a diminuir as taxas de criminalidade no futuro em até 30%.

Dados como esses foram obtidos por meio da observação da vida de alunos que passaram por programas experimentais iniciados, nos Estados Unidos, nas décadas de 1960 e 70. Em alguns casos, as trajetórias das crianças (divididas em dois grupos, as que participaram e as que ficaram de fora, formando um grupo de controle com alunos de nível socioeconômico semelhante) foram acompanhadas até que elas chegassem aos 40 anos de idade.

Em um dos programas, constatou-se que, enquanto 45% das crianças que não tiveram a Educação pré-escolar concluíram o ensino médio, esse percentual subiu para 66% entre aquelas que receberam o ensino adequado na primeira infância. Em outro programa, o número de crianças nascidas em ambientes desfavoráveis que concluíram o ensino superior foi três vezes maior que o daquelas que ficaram de fora.

São números mais do que contundentes e que mostram valer a pena o investimento. Há uma ligação inequívoca entre o pleno desenvolvimento da cognição da criança nos primeiros anos de vida e o aumento na probabilidade de conclusão do ensino médio, de chegada à universidade, algo que os gestores estão buscando por outras políticas, mas que é incompleto sem o trabalho de base.
Não só por uma questão quantitativa, de universalização, mas qualitativa, de oferecer aos filhos das camadas mais pobres oportunidades mais equânimes de competição, contribuindo para a riqueza do país. O objetivo, segundo Haddad, é universalizar o atendimento a partir dos 4 anos. Os recursos serão facilitados pelo fim da Desvinculação de Receitas da União (DRU), que incidia sobre o orçamento da Educação.

Sociedade tem muito a ganhar com investimentos no ensino na primeira infância.


Fonte: 01/12/2009 - Jornal do Brasil


Quatro em dez alunos ainda estão fora do ensino fundamental de nove anos. O prazo final para as redes de ensino se adequarem à obrigatoriedade acaba em 2010. A estatística é do Educacenso, levantamento de dados da educação básica feito anualmente pelo MEC (Ministério da Educação). Os dados integrais da pesquisa devem ser divulgados ainda esta semana pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).
Segundo o levantamento, há dez unidades da federação que registram mais de 60% dos alunos matriculados ainda no ensino fundamental de oito anos. São elas: São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Roraima, Pará, Amapá, Pernambuco, Bahia e Distrito Federal.

Os Estados que estão mais avançados na implantação da obrigatoriedade, instituída em 2005, são: Rondônia, Acre, Amazonas e Tocantins, na região Norte; Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas, no Nordeste; Minas Gerais e Rio de Janeiro na região Sudeste; e Mato Grosso do Sul e Goiás no Centro-Oeste.

As matrículas do ensino fundamental de nove anos aumentaram 12,5%, em relação ao ano anterior.

Em 2008, quase metade dos estudantes estavam fora do fundamental de nove anos.

Fonte:30/11/2009 - UOL – Educação
Formação Humana, Cultura e Diversidade” é o tema do II Colóquio Abrindo Trilhas para os Saberes, que a Secretaria da Educação(Seduc) realizará entre os dias 1º e 4 de dezembro, no Porto D'Aldeia Resort (avenida Manoel Mavignier, 6433 - Estrada da Cofeco), em Fortaleza. O evento visa à construção e socialização do conhecimento, possibilitando aos profissionais da educação apresentar e publicar artigos científicos baseados na sua prática pedagógica. O Colóquio, organizado pela Célula de Estudos e Pesquisas (Cepes) da Coordenadoria de Avaliação e Acompanhamento da Educação, é uma das ações do Projeto Professor AprenDiz.

Ao promover o evento, a Seduc busca valorizar os profissionais da educação, incentivar a continuidade da formação científica, bem como promover a educação básica com vistas à melhoria do processo de ensino e aprendizagem.

A iniciativa propiciará conferências com a participação dos professores Celso João Carminati, da Universidade Estadual de Santa Carina (Udesc) e João Emiliano Fortaleza de Aquino, da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e das professoras Isabel Maria Sabino de Farias e Maria Marina Dias Cavalcante, além da palestra de Maria do Socorro Lucena Lima, profissionais da Uece.
Durante o II Colóquio Abrindo Trilhas para os Saberes, serão apresentados 32 trabalhos de professores da rede pública de ensino do Estado, selecionados entre os 148 inscritos, que focam a educação básica nas temáticas Avaliação Educacional, Currículo, Diversidade, Formação Docente, Gestão e Metodologias e práticas nas áreas do conhecimento.

O evento reunirá, aproximadamente, 350 pessoas, dentre professores e técnicos, lotados na sede da Secretaria, nas Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Crede) e nas escolas estaduais. Dos participantes, 90% estão lotados em sala de aula.

Fonte: www.seduc.ce.gov.br
O Educacenso 2009 confirma a tendência de "ligeira queda" da matrícula na educação básica. De 2008 para 2009, houve diminuição de 1,2% no total de inscrições. Em termos numéricos, essa porcentagem significa 652.416 estudantes. As informações completas da edição 2009 do Censo da Educação Básica devem ser divulgadas ainda esta semana pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

A queda segue o crescimento da população. Segundo dados Pnad 2008 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE), a taxa de fecundidade atingiu o nível mais baixo da história (1,89 filhos por mulher), ficando abaixo do nível de reposição.

O levantamento do MEC contabilizou 52.580.452 alunos e 197.468 escolas, sendo o poder público responsável por 86,1% do alunado. A rede municipal é a mais signficativa e responde por 46,2% do total de estudantes, ou seja, 24.315.309 matrículas.

Segundo o Inep, o ensino fundamental também apresentou queda de 1,2% nas matrículas. As oscilações, no entanto, não chegam a 2% na maioria dos Estados brasileiros. Em apenas cinco unidades federativas há diminuição do número de matrículas em patamares acima de 2%: Paraíba (-3,5%); Ceará (-2,5%); Bahia (-2,3%); Minas Gerais (-2,3%); e Mato Grosso (-2,2%).

Fonte: 30/11/2009 - UOL – Educação

A um ano de acabar o prazo do Plano Nacional de Educação, os números sentenciam: o Brasil não vai cumprir as metas estabelecidas em lei, em 2001. Especialistas da área acusam a falta de recursos para que o PNE não tenha saído do papel. Ironicamente, o país já trabalha no próximo plano, também com validade de 10 anos, e que deve nortear o ensino até 2020.

O atual PNE é um exemplo importante de como, no Brasil, a realidade ainda está muito atrás dos direitos garantidos na legislação. O iG fez um levantamento de como está o cumprimento do planejamento preparado há nove anos para educação básica e ensino superior, que contempla a vida de crianças e jovens de até 24 anos de idade. A comparação das propostas com os dados disponíveis revela enormes desafios para o Brasil.

O maior deles está no ensino infantil, a meta do PNE para as creches era de ampliar a oferta de creche de forma a atender, até 2006, 30% da população de até 3 anos de idade. Até 2010, era preciso chegar a 50% das crianças. Não foi o que ocorreu.

De acordo com Daniel Cara, da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, apenas 16% dos meninos e meninas estão em sala de aula. E, para piorar, quase todos, são filhos de famílias ricas. “O reflexo da desigualdade se mostra principalmente nas creches. As crianças mais pobres são as que estão mais à margem”, afirma.

Para as crianças de 4 e 5 anos, a meta era de 80% de inclusão. O percentual foi alcançado, de acordo com o cruzamento de dados do Censo da Educação Básica e números do IBGE. No entanto, o país deixou a desejar em outros artigos do PNE como o que define como fundamental a existência ambiente interno e externo para o desenvolvimento das atividades, incluindo o repouso, a expressão livre, o movimento e o brinquedo.

Dinheiro

“Não são as metas que foram ambiciosas, o país é que não teve dinheiro para executá-las”, afirma o educador da Universidade de Brasília (UnB), Célio da Cunha, consultor da UNESCO. Célio, que participou da elaboração do plano, conta que havia um artigo obrigando o investimento de 7% do PIB em educação. “Quase uma década depois, investimos 4,3%”, completa.

Para os jovens, mais problemas. O PNE determina a inclusão de todos os adolescentes no ensino médio. No entanto, dos 10,2 milhões de estudantes apenas 8,3 milhões continuam os estudos após a educação fundamental.

No ensino superior, é ainda pior. Apenas 13,78% dos alunos de 18 a 24 anos estão matriculados em instituições gratuitas. Pelo PNE, em 2010, 30% de todos os jovens nessa faixa etária deveriam estar matriculados nas instituições públicas de ensino superior. “Houve um salto significativo de 2002 para cá mas temos outros problemas que impedem o cumprimento da meta”, afirmou Maria Paula Dallari Bucci, secretária de Ensino Superior do MEC, na divulgação do Censo de Ensino Superior do MEC, sexta-feira.

Ensino fundamental


De todos os níveis de ensino que fazem parte da educação básica, nenhum evoluiu tanto como o fundamental que é obrigatório e contempla crianças de 6 a 14 anos. Desde 1996, União, estados e municípios investem na formação de brasileiros de 1ª a 8ª séries com recursos do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Básico (Fundeb).

O Brasil praticamente universalizou o atendimento de toda a clientela do ensino fundamental a partir de 2001. Atualmente, as matrículas giram em torno de 98% e estão próximas do que determinava o plano: 100%. Mas a permanência de todas as crianças na escola está longe de ser verdade. O Brasil tem uma das mais altas taxas de repetência, evasão e abandono escolar do mundo. É nisso que trabalha o MEC hoje com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica pelo qual, além do desempenho dos estudantes, são cobrados o combate a repetência e a evasão.


fonte: 29/11/2009 - IG – Educação
O projeto de ensino a distância do governo federal para formar professores tem falhas que causam "risco de sustentabilidade", aponta auditoria aprovada no mês passado pelo Tribunal de Contas da União.

A auditoria constatou, por exemplo, problemas na conexão de internet nos cursos, principal ferramenta utilizada pelos estudantes. A crítica foi feita por 42% dos tutores, espécie de docentes que acompanham os futuros professores.

O governo admite a existência de problemas, mas diz que são esperados em um programa de grande dimensão e relativamente recente (iniciado em 2005). Afirma também que está corrigindo as falhas.

A Universidade Aberta do Brasil, como é chamado o programa de formação, é a principal aposta da gestão Lula para reduzir o número de professores sem a formação adequada que atuam na Educação básica. Hoje, são 110 mil alunos matriculados no projeto.

A União estima que 300 mil docentes do país não têm ensino superior ou lecionam em área diferente de sua formação original. A melhora do magistério é apontada pelo próprio governo como o fator mais importante para aumentar a aprendizagem dos estudantes.

Um dos maiores problemas encontrados pelo tribunal foi a condição dos polos presenciais, locais onde os alunos participam de aulas obrigatórias e podem usar os computadores para atividades a distância, como trabalhos e videoconferências.
Como o projeto atende principalmente cidades com população de baixa renda, a maior parte dos alunos depende da estrutura do polo para estudar.


Fonte: 29/11/2009 - Folha de S. Paulo
Com dois meses de atraso, 4,1 milhões de estudantes testarão seus conhecimentos no novo Exame Nacional do ensino médio (Enem) no próximo fim de semana. A prova, que deveria ter sido realizada nos dias 3 e 4 de outubro, foi suspensa após o vazamento do conteúdo de algumas questões. A notícia de fraude engrossou a discussão sobre a confiabilidade do exame, considerado pelo governo federal a principal ferramenta de avaliação do ensino médio brasileiro e, a partir deste ano, um dos critérios (quando não o único) para o ingresso dos vestibulandos em 24 das 55 universidades federais do país.

Educadores ouvidos pela reportagem da Gazeta do Povo apontam cinco questões que precisam ser observadas nesta e nas próximas edições do Enem, usado também para a concessão para bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni).
Tempo

O pouco tempo entre a aceitação do novo formato e a aplicação do exame – cerca de cinco meses – trouxe consequências ao planejamento desta primeira avaliação, na opinião de alguns educadores. A implantação do novo Enem ainda neste ano foi um dos principais questionamentos dos reitores das universidades federais na hora de aderir à avaliação.

Participação

A falta de diálogo entre governo e sociedade é uma falha apontada pelas entidades que representam os secretários estaduais de Educação, estudantes e cursos pré-vestibulares. Uma maior participação da sociedade civil na elaboração do novo Enem está entre as principais reivindicações. Um comitê de governança já foi instituído pelo Ministério da Educação para acompanhar o andamento do exame.

Licitação

Um cuidado maior com a licitação deve estar entre as prioridades do governo nas próximas edições da prova. Uma das empresas do consórcio contratado para imprimir as provas e aplicar o Enem foi alvo de ações judiciais. O ministro da Educação, Fernando Haddad cogitou a possibilidade de ser criada uma empresa estatal especializada na aplicação de concursos públicos.

Logística

A logística da implantação de um exame do porte do Enem tem de estar muito bem estruturada. A aplicação da prova, no próximo fim de semana, contará com a participação da Força Nacional de Segurança, da Polícia Federal e dos Correios. Como será a única forma de ingresso em 14 universidades, a prova ganhou mais peso. São 4,1 milhões de participantes em 1,8 mil municípios brasileiros.

Segurança

A necessidade de uma segurança reforçada é outra lição ressaltada principalmente pelos reitores de universidades, que já possuem anos de experiência na aplicação de vestibulares em suas instituições. Um dos planos do Inep é aplicar o Enem em vários momentos ao longo do ano. Para 2010 já está prevista a aplicação de duas etapas da avaliação.


fonte: 29/11/2009 - Gazeta do Povo
O professor de ensino fundamental da rede pública do País recebe, em média, um salário 11% maior do que o da rede privada. Quando se levam em conta os benefícios previdenciários do funcionalismo público, a diferença em favor das redes municipais e estaduais sobe para 38%. A constatação, que refuta um clichê comum na área, é explicada pela heterogeneidade das escolas particulares, que formam um conjunto bastante diferente das ilhas de excelência que se destacam no setor.

Em média, os professores da rede pública recebem R$ 9,40 por hora de trabalho e os da rede privada, R$ 8,46. Num cálculo de 40 horas semanais, o docente tem um salário médio de R$ 1.504 no ensino público e R$ 1.353 no particular. Lei que entra em vigor no ano que vem estipula o piso nacional do magistério em R$ 950 - valor já cumprido por quase todos os Estados, mas ainda em defasagem em muitos municípios.

"Não estamos dizendo que os salários são justos, nem que os professores são bem pagos e não precisam de reajustes. Apenas mostramos que não é como todo mundo imagina", explica a economista Kalinca Léia Becker, autora do estudo, feito na Universidade de São Paulo (USP). "Quando comecei a pesquisa, eu mesma esperava encontrar outro resultado, o que mostra que precisamos conhecer melhor esse universo para traçarmos políticas públicas efetivas", diz.

Além de traçar as médias salariais com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, o trabalho comparou o rendimento do professor brasileiro com o de outras duas categorias de profissionais - justamente para ter uma base de comparação mais efetiva.

O resultado foi que o professor brasileiro recebe menos da metade do salário de um pesquisador da área científica com graduação, mestrado e doutorado. No entanto, seu salário é cerca de 5% superior ao rendimento médio de profissionais da área de serviço, com mais de dez anos de escolaridade.

"A diferença do salário do professor é que ele tem uma dispersão menor do que o de outras profissões. São todos valores mais próximos de uma média, sem diferenças entre maiores e menores", explica a economista Ana Lúcia Kassouf, especialista em economia do bem-estar social da USP. Ela explica que essa pouca variação entre salários reflete falta de seleção entre profissionais bons e ruins e pode desmotivar aqueles que se empenham mais e fazem um melhor trabalho.

Fonte: 28/11/2009 - O Estado de S. Paulo
A maioria dos professores brasileiros, tanto da rede pública quanto privada, trabalha apenas em um local - o que desmistifica a imagem do professor que dá aula em várias escolas e passa o dia se desdobrando entre turmas diferentes de alunos. Segundo a pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), feita com base nos dados da Pnad, elaborada pelo IBGE, 85% dos professores da rede privada têm apenas um emprego. Entre os professores da rede pública, o índice fica em 77%.

O cenário é semelhante ao que foi traçado pelo Ministério da Educação (MEC) no Censo do Professor, elaborado pela primeira vez neste ano. O levantamento, divulgado em maio, mostrou que 80,9% dos docentes brasileiros trabalham em apenas uma escola, mais de 60% lecionam em um turno e quase 40% são responsáveis por somente uma turma. Apenas 3,2% deles trabalham em mais de três escolas.

No total, o País tem cerca de 1,8 milhão de professores no ensino básico (que inclui o ensino infantil, fundamental e médio). A discussão sobre a valorização da carreira ganhou força após a aprovação, no ano passado, do piso salarial do magistério - o primeiro piso de uma profissão definido por lei, que deverá entrar em vigor em 2010.

Fonte: 28/11/2009 - O Estado de S. Paulo
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu mudanças no sistema de educação e criticou os meios de comunicação por não apresentarem material educativo durante a inauguração do parque Cidade dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Bernardo do Campo Eurídice Ferreira de Mello --nome da mãe do presidente, também conhecida como dona Lindu.

Lula afirmou ainda no evento em São Bernardo do Campo (SP) que, para resolver questões como a da criança e do adolescente, é preciso uma mudança na educação. "Não é falta de lei, é falta de cultura. Não é trabalhar para ter um projeto de lei, é trabalhar nas escolas corretamente a formação das pessoas."

O presidente declarou que é preciso coragem para formar os cidadãos. "Se a gente tiver medo de ensinar o combate ao racismo na escola vai ficar mais difícil ensinar depois. Se a gente tiver medo de ensinar a educação sexual para os nossos filhos nas escolas, vai ficar muito mais difícil depois porque eles vão fazer aquilo que é próprio da natureza humana, muitas vezes por falta de uma explicação."

Lula criticou também a ausência de conteúdos educativos nos meios de comunicação. "Qual é a quantidade de minutos educativos [nos meios de comunicação]? É muito pouco porque o interesse é evidentemente comercial."

Após o evento, o presidente seguiu para a cerimônia de pré-estréia do filme "Lula, o Filho do Brasil" nos estúdios da Vera Cruz.

Fonte: 28/11/2009 - Folha Online

Obrigada pela visita!!!

Redes Sociais

Hora certa

Previsão do Tempo

A Hora da e Escola

A Hora da e Escola
Toda quinta-feira, às 13h30min, na Rádio Caiçara

Blogs Indicados

Meus Vídeos

A Embriaguez do Movimento

Posts do Blog

Seguidores

Popular Posts